Poupança

Qual o rendimento de R$ 1 milhão aplicado na poupança?

rendimento poupança

Viver de renda não é uma tarefa fácil, mas quem está empenhado em conseguir esse feito, pode muito bem dispor de investimentos para se manter.

Quando tratamos da poupança, muitos sabem que ela não gera bons lucros, tendo em vista o cálculo aplicado para os rendimentos.

Sabemos que devido ao movimento que a Taxa Básica de Juros (Selic) faz para baixo ou para cima, a poupança passa a ser um investimento não tão interessante, já que o lucro esperado acaba sendo muito baixo devido ao cálculo que citamos acima.

A pergunta que todos fazem quando desejam aplicar dinheiro na poupança é:

Quanto rende 1 milhão na poupança?

A regra para calcular esse montante é a seguinte: quando a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança renderá ao mês 0,5% + a Taxa Referencial, que é um indicador calculado pelo Banco Central utilizado para corrigir diversos investimentos (no momento ele encontra-se zerado). Já quando a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança será 70% da própria Selic mais a Taxa Referencial.

Com isso, é bastante difícil chegar ao denominador que fará você obter um lucro considerável com os investimentos aplicados na poupança, pois o percentual inserido nela não é tão favorável quanto aos de outros investimentos.

Mas, respondendo efetivamente à pergunta, o cálculo de quanto rende R$ 1 milhão na poupança hoje independe da data do depósito, devido ao patamar atual da Selic. O valor rende R$ 5 mil por mês ou R$ 61,7 mil em um ano, sendo este o rendimento nominal, ou seja, desconsiderando os efeitos da inflação.

É importante lembrar que até 2012, o rendimento da poupança era diferente e não dependia da taxa Selic. Mas como todas aplicações feitas na poupança atualmente seguem o novo cálculo de rentabilidade, podemos dizer que a poupança não é a melhor alternativa para fazer seu dinheiro se multiplicar.

Uma dessas alternativas, inclusive, pode ser investir em um título público vinculado ao Governo Federal, que é tão seguro quanto e tem a rentabilidade atrelada à própria Selic.

Para entender um pouco mais, basta analisar o fechamento da poupança em 2021, que ficou com o rendimento de 2,94% ao ano. Porém, atenção! Este é o valor nominal, sendo que para saber a rentabilidade real da poupança é preciso descontar a inflação.

Em 2021, a inflação acumulada foi de 10,06%. Assim sendo, o rendimento real da poupança no ano foi de -6,37%. Ou seja, quem deixou o dinheiro parado na poupança em 2021 perdeu poder de compra, já que a inflação superou o rendimento da caderneta neste período.

Por isso, é sempre muito importante se atentar a outros indicadores e à situação econômica do país. Somente assim você consegue tomar decisões mais assertivas e não perder dinheiro no mercado.

Outras opções de investimento de baixo risco

Se tratando de outros investimentos mais interessantes, o Tesouro Selic, pode ser uma boa opção para quem quer uma rentabilidade superior ao da poupança. Os títulos públicos são bastante seguros, uma vez que é o próprio governo que administra essa credibilidade.

Um outro investimento da Renda Fixa que é bastante apreciado pelos investidores é o CDB (Certificado de Depósito Bancário). A rentabilidade varia de acordo com o tempo de resgate, existe desde o papel de liquidez diária, no qual você consegue sacar a qualquer momento, a opções com prazos maiores, que oferecem vencimentos em muitos anos.

Vale lembrar que a rentabilidade do CDB varia conforme o tempo de resgate, ou seja, prazos mais alongados têm rentabilidades maiores.

Mais alguns exemplos são os investimentos para incentivar os mercados imobiliário e agrícola. Os chamados LCI e LCA são modalidades que se destacam frente às outras por não incidir Imposto de Renda para as pessoas físicas.

Tais investimentos também apresentam uma rentabilidade em geral superior à poupança.

Além dos investimentos de Renda Fixa, também é possível aplicar seu dinheiro em Renda Variável, que é um pouco mais complexa pelo risco que o investidor pode correr ao colocar seu dinheiro em um dos formatos. É preciso entender bem onde pisa, pois esse tipo de remuneração pode levar a altos ganhos, mas também trazer prejuízos irreversíveis.

Alguns dos modelos de renda variável mais comuns são os investimentos em Fundos Imobiliários e as ações na Bolsa de Valores.

(Redação – Investimentos e Notícias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.