Negócios

Santander Brasil registra lucro acima do esperado no 2T22

santander brasil

O Santander Brasil, terceiro maior banco privado do país, divulgou nesta quinta-feira, 28, que obteve um lucro líquido de R$ 4,084 bilhões no segundo trimestre de 2022, uma alta de 2% em relação ao primeiro trimestre do ano.

A margem financeira bruta atingiu R$ 12.775 milhões no 2T22, apresentando queda de 8,3% em três meses, pressionada pelo menor resultado das operações de mercado. Margem com clientes cresceu 3,1% no mesmo período, influenciada principalmente por maiores volumes e melhora do mix de produtos. No ano, a queda de 0,5% da margem está relacionada às menores receitas com operações de mercado.

A carteira de crédito somou R$ 468.538 milhões em junho de 2022, aumento de 2,9% no trimestre (ou crescimento de 2,1% desconsiderando a variação cambial), com destaque para o crescimento da carteira do Varejo e aumento da carteira de grandes empresas, esta última, influenciada parcialmente pela variação cambial e crescimento do negócio.

As captações de clientes totalizaram R$ 523.677 milhões no segundo trimestre de 2022, alta de 5,9% em três meses e de 11,8% no ano, reflexo de maiores volumes de depósitos a prazo e letras financeiras, em função da maior atratividade das captações de renda fixa. O crescimento de depósitos a prazo no trimestre foi estimulado pela retomada das captações, após um primeiro trimestre do ano com liquidações pontuais de alguns clientes corporativos, efeito sazonal do período.

O índice de Basileia atingiu 14,2% no trimestre, redução de 0,5 p.p. principalmente pela mudança na apuração dos créditos tributários de prejuízo fiscal afetando as deduções de capital, previsto na resolução nº 82 BCB, de 31 de março de 2021, adicionado a um incremento nos ativos ponderados pelo risco (RWA), sendo suavizados pelo crescimento de 0,4% do Patrimônio de referência (PR) em razão dos lucros retidos no período. No ano, o índice de Basileia apresentou queda de 0,5 p.p. principalmente pelo incremento dos ativos ponderados pelo risco (RWA) de 7,4%, e pela mudança regulatório já mencionada. O índice de Basileia supera em 3,20 p.p. a soma dos requerimentos mínimos do Patrimônio de Referência e Adicionais de Capital Principal.

Os ativos totais somaram R$ 986.589 milhões em junho de 2022, aumento de 2,8% no trimestre e de 4,9% quando comparado ao ano anterior. No trimestre, o crescimento foi principalmente pelo aumento das aplicações interfinanceiras de liquidez, carteira de crédito e carteira de câmbio. O patrimônio líquido atingiu R$ 80.335 milhões em junho de 2022 ou R$ 78.932 milhões, desconsiderando o saldo do ágio.

(Redação – Investimentos e Notícias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.