Bitcoins

BlueBenx lista 14 novos ativos digitais

ativos digitais

Visando um amplo cenário de crescimento no mercado cripto e, consequentemente, aumentar seu portfólio de ativos digitais, a BlueBenx – plataforma de serviços multifinance conectada à Blockchain – anuncia a listagem de 14 novos criptoativos. São eles: Klaytn (KLAY), Tezos (XTZ), Maker (MKR), Chiliz (CHZ), Helium (HNT), ThorChain (RUNE), Neo (NEO), Eos (EOS), Waves (WAVES), Zilliqa (ZIL), The Graph (GRT), ZCash (ZEC), Flow (FLOW) e Miota (IOTA).

A adição de ativos disponíveis na plataforma reforça a confiança da marca no mercado cripto. “Os ativos digitais vem proporcionando uma verdadeira revolução, pois é transparente e permite o acesso das informações diretamente pela rede, além de ter uma tecnologia altamente segura. Tudo isso democratiza seu acesso e permite a inclusão financeira de milhares de pessoas na esfera digital. Diante disso, ampliar nosso portfólio faz-se necessário para uma maior oportunidade de diversificação dentro da BlueBenx”, detalha Roberto Cardassi, CEO da fintech.

Klaytn (KLAY)

O Klaytn é uma blockchain pública focada no metaverso, gamefi e economia criadora. Lançada oficialmente em junho de 2019, é a plataforma blockchain dominante na Coreia do Sul e agora está passando por uma expansão global de negócios a partir de sua base internacional em Cingapura.

Tezos (XTZ)

Tezos é uma rede blockchain baseada em contratos inteligentes, de uma forma que não é muito diferente do Ethereum. No entanto, há uma grande diferença: o Tezos visa oferecer uma infraestrutura mais avançada – o que significa que pode evoluir e melhorar ao longo do tempo sem que haja o perigo de um hard fork. Isso é algo que o Bitcoin e o Ethereum sofreram desde que foram criados. As pessoas que possuem XTZ podem votar em propostas de atualizações de protocolo que foram apresentadas pelos desenvolvedores do Tezos.

Maker (MKR)

Maker é o token de governança do MakerDAO e do Maker Protocol – respectivamente uma organização descentralizada e uma plataforma de software, ambas baseadas no blockchain Ethereum – que permite aos usuários emitir e gerenciar a stablecoin DAI. Inicialmente concebido em 2015, e totalmente lançado em dezembro de 2017, o Maker é um projeto cuja tarefa é operar o DAI, uma criptomoeda descentralizada gerenciada pela comunidade com um valor estável atrelado ao dólar americano.

Chiliz (CHZ)

Chiliz é a principal moeda digital para esportes e entretenimento do provedor FinTech de mesmo nome, com sede em Malta. Ela opera a plataforma de entretenimento esportivo baseada em blockchain Socios, que permite que os usuários participem da governança de suas marcas esportivas favoritas. Vários tokens de fãs da Socios.com são um exemplo disso. Para clubes e associações esportivas, os tokens de fãs oferecem uma maneira de se conectar com seus fãs e desbloquear novos fluxos de receita.

Helium (HNT)

Helium (HNT) é uma rede descentralizada alimentada por blockchain para dispositivos da Internet das Coisas (IoT). Lançada em julho de 2019, a rede principal Helium permite que dispositivos sem fio de baixa potência se comuniquem e enviem dados por sua rede de nós. O objetivo da Helium é preparar a comunicação IoT para o futuro, identificando inadequações na infraestrutura atual desde o seu nascimento em 2013.

ThorChain (RUNE)

O ThorChain é um protocolo de liquidez descentralizado que permite que os usuários troquem facilmente ativos de criptomoeda em uma variedade de redes sem perder a custódia total de seus ativos no processo. O token de utilitário nativo da plataforma é o RUNE. Ele é usado como a moeda base no ecossistema e também é usado para governança e segurança da plataforma.

Neo (NEO)

A Neo se apresenta como um ecossistema de “crescimento e desenvolvimento rápidos” que tem o objetivo de se tornar a base para a próxima geração da internet. Inicialmente conhecido como Antshares, a plataforma de código aberto foi renomeada para Neo três anos depois.

Além de criar uma comunidade mundial de desenvolvedores, a equipe por trás deste projeto opera uma iniciativa EcoBoost projetada para incentivar as pessoas a criar aplicativos descentralizados e contratos inteligentes em seu blockchain.

Eos (EOS)

A EOS é uma plataforma projetada para permitir que os desenvolvedores criem aplicativos descentralizados (também conhecidos como DApps). O objetivo do projeto é tornar o mais simples possível para os programadores adotarem a tecnologia blockchain. A EOS também visa melhorar a experiência de usuários e empresas. Embora o projeto tente oferecer maior segurança e menos atrito para os consumidores, ele também busca liberar flexibilidade e conformidade para as empresas. A blockchain foi lançada em junho de 2018.

Waves (WAVES)

A Waves é uma plataforma blockchain multifuncional que suporta vários casos de uso, incluindo aplicativos descentralizados (DApps) e contratos inteligentes. O token nativo do Waves é o WAVES, um token de fornecimento ilimitado usado para pagamentos padrão, como recompensas em bloco.

Zilliqa (ZIL)

A Zilliqa é uma blockchain pública e sem permissão projetada para oferecer alta taxa de transferência com a capacidade de concluir milhares de transações por segundo. O projeto procura resolver a questão da escalabilidade e velocidade do blockchain empregando o sharding como uma solução de dimensionamento de segunda camada. A plataforma abriga muitos aplicativos descentralizados e, a partir de outubro de 2020, também permite o staking e a agricultura de rendimento. O token de utilitário nativo da Zilliqa é o ZIL, usado para processar transações na rede e executar contratos inteligentes.

The Graph (GRT)

O Graph é um protocolo de indexação para consultar dados para redes como Ethereum e IPFS, alimentando muitos aplicativos no DeFi e no ecossistema Web3 mais amplo. Qualquer pessoa pode criar e publicar APIs abertas, chamadas subgrafos, que os aplicativos podem consultar usando o GraphQL para recuperar dados de blockchain. O Graph atualmente suporta dados de indexação de Ethereum, IPFS e POA, com mais redes em breve.

ZCash (ZEC)

O Zcash é uma criptomoeda descentralizada focada em privacidade e anonimato. Ele usa a tecnologia de prova de conhecimento zero zk-SNARK que permite que os nós na rede verifiquem transações sem revelar nenhuma informação sensível sobre essas transações. O Zcash foi lançado pela primeira vez em 28 de outubro de 2016 e foi originalmente baseado na base de código do Bitcoin.

Flow (FLOW)

O token FLOW é a moeda nativa da rede Flow e a pedra angular de uma economia digital nova, inclusiva e sem fronteiras. Se Flow é a infraestrutura digital, o token FLOW é o combustível que alimenta a rede. O ativo é a moeda necessária para que a rede e todos os aplicativos sobre ela funcionem. O FLOW foi concebido como um método de pagamento, bem como um ativo de reserva de longo prazo para toda a economia Flow. O token é usado por validadores, desenvolvedores e usuários para participar da rede e ganhar recompensas. Também é usado para taxas e para participar da futura governança de protocolos.

Miota (IOTA)

O IOTA é um livro-razão distribuído com uma grande diferença: não é realmente um blockchain. Em vez disso, sua tecnologia proprietária é conhecida como Tangle, um sistema de nós que confirma transações. A base por trás dessa plataforma diz que ela oferece velocidades muito maiores do que as blockchains convencionais – e uma pegada ideal para o ecossistema da Internet das Coisas em constante expansão. Originalmente conhecido como Jinn, um crowdsale para o projeto foi realizado em setembro de 2014, e a rede foi lançada oficialmente em 2016.

(Redação – Investimentos e Notícias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.