Venda a crédito reage em agosto mas não atinge patamar de 2013

  •  
Venda a crédito reage em agosto mas não atinge patamar de 2013 Foto: Divulgação Venda a crédito reage em agosto mas não atinge patamar de 2013

As vendas a prazo avançaram 5,1% em agosto ante julho no comércio paulistano, mas caíram 3,1% em relação a agosto do ano passado. E entre janeiro e agosto de 2014, elas avançaram 0,8% ante o mesmo período de 2013. As informações são do Balanço de Vendas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

"O varejo reagiu em agosto mas não atingiu o mesmo patamar de 2013", avalia o presidente da ACSP, Rogério Amato.

O avanço de 5,1% no varejo se deve: à base fraca de comparação - julho foi ruim para o comércio em razão da Copa; ao movimento gerado pelo Dia dos Pais; e às liquidações promovidas no período.

Rogério Amato explica o recuo de 3,1% ante 2013 e o acumulado deste ano. "O resultado reflete a política macroeconômica de subir os juros para o combate à inflação e restringir o crédito. A isso se soma o comportamento do consumidor, que está mais cauteloso e com a confiança em patamar baixo", explica Amato, que também é presidente da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de SP) e presidente-interino da CACB (Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil).

Agosto de 2014 contou com um dia útil a menos em relação ao mês anterior e, também, a agosto de 2013.

Vendas à vista: estáveis

Em agosto, as vendas à vista ficaram praticamente estáveis, com queda de 0,3% ante julho e alta de 0,3% em relação a agosto de 2013. Nos oito meses analisados, foi registrada alta de 1,8% - acompanhando o comportamento da massa salarial e da taxa de desemprego, que flutuam próximas da estabilidade.

As vendas a crédito e à vista são medidas pelo IMC (Indicador de Movimento do Comércio a Prazo) e pelo ICH (Movimento de Cheques).

Inadimplência

O IRI (Indicador de Registro de Inadimplentes), que mede a entrada de registro de consumidores inadimplentes, teve alta de 8,8% em agosto ante julho - reflexo do endividamento pelo Dia das Mães. Na comparação com agosto do ano passado, houve queda de 1,1%, compatível com as vendas em baixa devido à concessão rigorosa de crédito e à cautela do consumidor perante novas dívidas.

No período acumulado (janeiro a agosto de 2014), o IRI registrou alta de 1,3%, sinalizando estabilidade apesar as pequenas oscilações.

O IRC (Indicador de Recuperação de Crédito), que aponta os cancelamentos de dívidas, fechou agosto com alta de 9,1% ante julho e queda de 1,8% em relação a agosto do ano passado. Entre janeiro e agosto, o IRC apresentou alta de 1,8%.

Para o Instituto de Economia da ACSP, os números referentes à inadimplência sinalizam estabilização, com pequenas oscilações, que não preocupam o varejo.

Os dados do Balanço de Vendas da ACSP são feitos a partir de amostra fornecida pela Boa Vista Serviços.

(Redação - Agência IN)