Copel aprova desdobramento de ações na proporção 1:10

A Companhia Paranaense de Energia – COPEL empresa que gera, transmite, distribui e comercializa energia, com ações listadas na B3 (CPLE3, CPLE5, CPLE6), na NYSE (ELPVY, ELP) e na LATIBEX (XCOP), comunica que a assembleia geral extraordinária, realizada no dia 11 de março de 2021, aprovou, dentre outras matérias, o desdobramento de ações da Companhia, sem alteração da cifra do capital social, na proporção de 1 (uma) ação para 10 (dez) ações, de modo que, a cada 1 (uma) ação de emissão da Companhia, serão creditadas 9 (nove) novas ações de mesma classe e espécie.

Copel anuncia distribuição de JCP

A Copel anunciou que aprovou, como parte da destinação dos resultados do Exercício de 2019, a distribuição do montante bruto de R$ 643.000.000,00 na forma de juros sobre capital próprio (JCP), em substituição aos dividendos, o Conselho de Administração da Copel na 203ª Reunião Ordinária, de 17.06.2020, deliberou que o pagamento dos proventos acima seja efetuado em duas parcelas.

Copel registra Ebitda de R$ 1,2 bilhão no 1T20

A Copel anunciou nesta sexta-feira (15) que no primeiro trimestre de 2020, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 1.153,3 milhões, 5,6% maior que os R$ 1.092,1 milhões registrados no 1T19. 

Copel registra EBITDA acima de R$ 1,0 bilhão no 4T19

A receita operacional líquida da Copel totalizou R$ 4.412,4 milhões no 4T19, crescimento de 20,2% em relação aos R$ 3.671,1 milhões registrados no 4T18.
Em 2019, os custos e despesas operacionais totalizaram R$ 13.160,3 milhões, representando um aumento de 3,8%. 

Copel registra EBITDA de R$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre

A receita operacional líquida da Copel totalizou R$ 4.253,7milhões no 3T19, queda de 1,3%em relação aos R$ 4.309,1 milhões registrados no 3T18. Esse resultado é reflexo, principalmente, da redução de 64,6% na linha de “resultados de ativos e passivos financeiros setoriais” (R$ 151,9 milhões ante R$ 429,3 milhões no 3T18), como consequência, sobretudo, da amortização dos valores considerados na receita de fornecimento e pela menor variação dos saldos constituídos para o reajuste aplicado a partir de 24 de junho de 2019; e 9,4% em “suprimento de energia elétrica”, efeito, principalmente do menor PLD médio no 3T19 (214,13/MWh ante R$ 494,37/MWh no 3T18), o que implicou na diminuição de receita com venda de energia no curto prazo, em parte atenuado pelo faturamento dos contratos de CCEAR da UHEBaixo Iguaçu, UHE Colíder e Complexo Eólico Cutia.

Assinar este feed RSS