Receita operacional da Azul cresce no 4T20

  •  
Receita operacional da Azul cresce no 4T20 (Foto: Pexels) Receita operacional da Azul cresce no 4T20

A recuperação da demanda doméstica no Brasil continua sendo uma das mais aceleradas do mundo. Diante deste cenário, a capacidade doméstica da Azul em dezembro representou 91% do mesmo período do ano anterior, enquanto que no 1T21 a Companhia espera superar a capacidade do mesmo período de 2019.

A receita operacional totalizou R$ 1,8 bilhão em 4T20, acima de R$ 805,3 milhões, representando um aumento de 121,5% em relação ao 3T20.

As despesas operacionais, excluindo despesas não-recorrentes, aumentaram 30,4%, comparado com o 3T20, totalizando R$ 1,9 bilhão, relacionado principalmente com o aumento de capacidade.

O EBITDA foi positivo em R$ 192,9 milhões, representando uma margem de 10,8%, comparado a um prejuízo de R$ 258,0 milhões no 3T20 (-32,0% margem).

O RPK aumentou 105,2% comparado com o 3T20, ante um aumento da demanda durante o 4T20.
A taxa de ocupação no 4T20 atingiu 80,8% comparado com 78,4% do 3T20, um aumento de 2,4p.p., resultado da recuperação da demanda e otimização de nossa frota flexível.

A RASK e PRASK aumentaram 11,2% e 22,9% respectivamente, no 4T20 comparado ao 3T20, mesmo com um crescimento de 99% na capacidade.

O CASK reduziu 34,5% no 4T20 comparado ao 3T20. Ao final do 4T20, a Azul atingiu sua maior posição de liquidez na história. A Liquidez imediata, incluindo caixa, equivalentes de caixa, investimentos de curto prazo e contas a receber, aumentou para R$ 4,0 bilhões, ultrapassando a estimativa anterior de R$ 3,9 bilhões. Já a liquidez total, incluindo investimentos de longo prazo, ativos disponíveis, reserva de manutenção e depósitos, totalizou R$ 7,9 bilhões.

A Azul Cargo Express teve um crescimento de 38,4% na receita líquida comparado com o 3T20. Comparado como 4T19, a receita aumentou 64% principalmente devido a uma expansão do mercado de cargas, especialmente no comércio eletrônico.

(Redação – Investimentos e Notícias)