Oi anuncia EBITDA consolidado de R$ 1.218 mi no 2T19

  •  
Oi anuncia EBITDA consolidado de R$ 1.218 mi no 2T19 (Foto: Pexels) Oi anuncia EBITDA consolidado de R$ 1.218 mi no 2T19

A receita líquida das operações brasileiras totalizou R$ 5.046 milhões, redução de 8,1% na comparação com o 2T18. Os três segmentos (Residencial, Mobilidade Pessoal e B2B) continuam sendo impactados pela queda do tráfego de voz. Por outro lado, o crescimento da receita de dados do segmento de Mobilidade Pessoal, da receita de FTTH do Residencial e de TI do Corporativo compensaram parcialmente essa queda.

No 2T19, os custos e despesas operacionais consolidados de rotina, que incluem as operações internacionais, totalizaram R$ 3.874 milhões, 2,7% menor que no mesmo período de 2018 e 0,1% menor que no trimestre anterior.

No 2T19, o EBITDA consolidado de rotina alcançou R$ 1.218 milhões, queda de 22,1% em relação ao 2T18 e um pouco inferior ao 1T19 (-2,6%) de R$ 1.251 milhões.

No 2T19, o fluxo de caixa operacional consolidado de rotina (EBITDA de rotina menos Capex) foi negativo em R$ 843 milhões e, nas operações brasileiras, foi negativo em R$ 849 milhões, principalmente em função da aceleração dos investimentos no período e das receitas menores, que impactaram o Ebitda, conforme mencionado anteriormente nas seções Investimentos e Receitas.

O resultado financeiro líquido consolidado da Oi S.A. totalizou despesas de R$1.374 milhões no trimestre, uma elevação sequencial de R$1.172 milhões e um aumento de R$175 milhões em relação ao 2T18.

No 2T19, o resultado operacional da Companhia antes do resultado financeiro e dos tributos (EBIT) foi de negativos R$ 446 milhões, comparado a R$ 128 milhões no 2T18 e ao resultado positivo de R$ 775 milhões do 1T19. A Companhia registrou resultado financeiro líquido negativo de R$ -1.142 milhões e uma despesa de R$ 37 milhões em Imposto de Renda e Contribuição Social, resultando em um Lucro líquido consolidado negativo de R$ 1.625 milhões. Considerando os efeitos do IFRS 16, o Lucro Líquido Consolidado do período foi negativo em R$ 1.709 milhões.

(Redação – Investimentos e Notícias)