Preço do aluguel residencial sobe 4,10% em 2019, aponta Secovi-SP

  •  
Preço do aluguel residencial sobe 4,10% em 2019, aponta Secovi-SP Foto: Divulgação Preço do aluguel residencial sobe 4,10% em 2019, aponta Secovi-SP

A Pesquisa de Valores de Locação Residencial do Secovi-SP (Sindicato da Habitação) registrou alta de 4,10% no acumulado do ano (janeiro a dezembro de 2019). Apesar da alta nos 12 meses, o preço dos aluguéis ficou abaixo do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), da Fundação Getúlio Vargas, que registrou variação de 7,30% neste mesmo período. Ainda segundo o Secovi-SP, em dezembro, o aluguel apresentou variação de 0,20%.

Na análise por número de dormitórios, os imóveis de 3 quartos apresentaram alta de 0,55% em dezembro, seguidos pelas unidades de 1 dormitório com aumento nos aluguéis de 0,25%. Já os imóveis de 2 quartos ficaram estáveis no mês de dezembro.

Para Adriano Sartori, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi-SP, a recuperação do mercado de locação residencial em 2019 reflete a volta da confiança do investidor na macroeconomia. “O mercado está confiante na retomada da economia e tem reajustado, ainda que abaixo dos índices de inflação, o preço do aluguel, objetivando uma recuperação. A prática é legítima, porque grande parte dos donos de imóveis para locação são pequenos investidores, que complementam a renda familiar ou a aposentadoria”, analisa Sartori.

O fiador foi o tipo garantia mais frequente entre os inquilinos, respondendo por 45% dos contratos de locação realizados. O depósito de três meses de aluguel foi a segunda modalidade mais usada – cerca de 38% escolheram essa forma de garantia. O seguro-fiança foi o tipo de garantia pedido por 17% dos proprietários.

O IVL (Índice de Velocidade de Locação), que avalia o número de dias que se espera até que se assine o contrato de aluguel, indicou que o período de ocupação foi de 16 a 42 dias. Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas e os sobrados: 16 a 40 dias. Os apartamentos tiveram um ritmo de escoamento mais lento: 22 a 45 dias.

(Redação - Investimentos e Notícias)