Intenção de consumo das famílias volta a cair em abril

A intenção de consumo dos brasileiros voltou a cair em abril. Apurado mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o indicador de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) alcançou o patamar de 70,7 pontos no mês, o menor nível desde novembro de 2020, quando atingiu 69,8 pontos. Após ajuste sazonal, a série apresentou queda mensal de -2,5%, ante recuperação pontual no mês anterior. Além disso, foi o pior mês de abril da série histórica. Em relação ao mesmo período em 2020, houve retração de -26,1%.

Movimento do comércio cai 16,4% em março

O Indicador de Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, recuou 16,4% em março na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador apresenta retração de 7,7%. No mesmo sentido, na comparação com março do ano passado houve queda de 22,9%.

Vendas durante a semana de Páscoa crescem 1,9%

O Indicador da Serasa Experian de Atividade do Comércio – Páscoa mostra que as vendas nacionais no varejo físico cresceram 1,9% durante a semana (29 de março a 4 de abril). A ligeira alta acontece em relação ao índice negativo registrado ano passado (6 a 12 de abril de 2020), o menor de toda a série histórica.

Confiança do comércio volta a despencar

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas caiu 18,5 pontos em março, ao passar de 91,0 para 72,5 pontos, registrando o menor valor desde maio de 2020 (67,4 pontos). Em médias móveis trimestrais, o indicador caiu 6,4 pontos, mantendo a tendência de queda pelo quinto mês seguido.

Vendas do comércio crescem 0,2% em fevereiro

Os dados do Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian mostram que fevereiro de 2021 teve alta de 0,2% quando comparado com o mês anterior. No entanto, para o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, esse crescimento não significa um alívio para os comerciantes. “Mesmo com a expansão é preciso analisar todo o contexto, pois o aumento de fevereiro não é suficiente para compensar a queda de 1,1% registrada em janeiro de 2021”.

Varejo paulista termina 2020 com alta de 3% no seu faturamento

Os desempenhos positivos das lojas de materiais para construção e dos supermercados, além do benefício do auxílio emergencial, pago pelo governo federal entre abril e dezembro, foram determinantes para que o varejo paulista terminasse o ano de 2020 com alta de 3% no seu faturamento em comparação com o ano anterior, como mostra agora a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Vendas do comércio encerram 2020 com queda histórica de 12,2%, segundo Serasa Experian

O Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian registrou a maior retração de toda a série histórica do índice, iniciada em 2001. Após encerrar com alta em dois anos consecutivos a atividade do comércio tem queda de 12,2% no acumulado anual de 2020 em comparação a 2019. Nenhum dos segmentos escapou dos números negativos, entretanto, os comerciantes de veículos, motos e peças tiveram a baixa mais acentuada, com -16,2%. Confira abaixo os dados na íntegra:

Com pandemia, 75 mil lojas fecharam as portas em 2020

Mais de 75 mil lojas fecharam as portas no Brasil, no primeiro ano da pandemia de covid-19. O dado é do novo levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que aponta o saldo entre abertura e fechamento de estabelecimentos com vínculos empregatícios do comércio varejista brasileiro. A retração em 2020 é a maior desde 2016 (-105,3 mil), quando o setor ainda sofria os efeitos da maior recessão da história recente do País.

Assinar este feed RSS