Confiança do comércio recua 2,3 pontos em novembro

  •  
Confiança do comércio recua 2,3 pontos em novembro (Foto: Divulgação) Confiança do comércio recua 2,3 pontos em novembro

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas recuou 2,3 pontos em novembro, passando de 95,8 para 93,5 pontos, registrando a segunda queda consecutiva. Em médias móveis trimestrais, o indicador caiu 1,2 ponto, interrompendo um período de quatro altas seguidas.

“O segundo resultado negativo da confiança do comércio, em novembro, mostra que voltam a surgir obstáculos para recuperação do setor. A piora no mês foi influenciada pela percepção de redução do ritmo de vendas e ligeiro aumento das expectativas em relação aos próximos meses, mas ainda em patamar baixo. A dificuldade na recuperação da confiança do consumidor, a redução dos benefícios do governo e o cenário ainda negativo do mercado de trabalho sugerem que a retomada do comércio ainda pode encontrar mais obstáculos e que o ritmo pode ser mais lento do que o observado nos últimos meses. “, avalia Rodolpho Tobler, Coordenador da Sondagem do Comércio da FGV IBRE. 

Em novembro, a confiança caiu em quatro dos seis principais segmentos do Comércio. Do ponto de vista de horizontes temporais, a queda foi influenciada pela piora da percepção com o momento presente. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) recuou 5,4 pontos, para 99,7 pontos. Já o Índice de Expectativas (IE-COM) subiu 0,9 ponto para 87,5 pontos.

Indicador de Desconforto

Depois de um período de recuperação, o ISA-COM em médias móveis trimestrais começa a mostrar sinais de arrefecimento. No mesmo sentido, o Indicador de Desconforto (composto pela média das parcelas padronizadas demanda insuficiente, acesso ao crédito bancário, custo financeiro e outros como limitações a melhoria dos negócios) também começa a perder forças da recuperação que vem apresentando. Essa combinação de resultados sugere que a recuperação do setor ainda está sujeita à volatilidade e que ainda existem fatores que contribuem para limitar o avanço do ritmo de retomada.

(Redação – Investimentos e Notícias)