Ibovespa sobe 0,28% nesta quarta-feira

  •  
Ibovespa sobe 0,28% nesta quarta-feira    (Foto: Divulgação) Ibovespa sobe 0,28% nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira, 13, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, apresenta ganhos em linha com o mercado externo. Há pouco, o índice, valorizava 0,28%, aos 56.601 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 1.718 bilhão.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, a influência positiva externa deve dar o tom da abertura dos negócios no dia de hoje. Mas essa melhora não é baseada em fatores macroeconômicos, mas sim, baseado em resultados específicos de empresas e em função da percepção de que os juros ficarão baixos por longo tempo. Dados da China não animam e as bolsas asiáticas fecharam estáveis, anulando o efeito positivo de NY. Commodities metálicas para baixo devem pressionar empresas exportadoras. Minério de ferro e cobre registram nova queda. O mercado local viverá dia importante com o vencimento do índice futuro e aguarda com ansiedade os desdobramentos das aparições dos principais candidatos de forma mais incisiva nos últimos dias. Pesquisas eleitorais também estão na agenda dos próximos dias.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Brasil (ON) que avançavam 2,61% e a Braskem (PNA) que apresentavam alta de 2,49%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da MMX (ON), que recuavam 2,27% e a Vale (PNA) que apresentavam revés de 2,17%.

Do lado corporativo, a Marfrig Global Foods anunciou uma receita líquida de R$ 5,1 bilhões no 2T14, crescimento de 14,9% na comparação com o 2T13 e EBITDA ajustado de R$ 398 milhões no 2T14, alta de 42,1% em relação ao 2T13, com margem de 7,8%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito revelou que houve aumento de 15,0% na busca empresarial por crédito em julho/14 em relação ao mês imediatamente anterior (junho/14). De acordo com os economistas da Serasa Experian, o fim da fase de grupos da Copa do Mundo, carregada de feriados e paralisações, deprimiu o resultado da busca por crédito em junho.

No exterior dados da China e Japão ganham destaque. O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão registrou queda de 1,7% no segundo trimestre de 2014 em relação ao anterior, o que é atribuído a uma retração do consumo por causa do aumento do IVA (Imposto sobre o Valor Agregado) a partir de 1º de abril. Por outro lado, a produção industrial da China subiu 9% em julho ante 2013, enquanto as vendas no varejo avançaram 12,2%, um pouco abaixo das expectativas, informou a Agência Nacional de Estatísticas.

Para finalizar, o departamento do Comércio dos Estados Unidos anunciou que as vendas varejistas se mantiveram estáveis em julho, decepcionando as expectativas dos analistas. O índice das vendas varejistas estabelecido pelo departamento se manteve sem alterações em relação a junho, em dados corrigidos por variações sazonais e dias úteis. Os economistas esperavam um aumento de 0,3%.

(MR – Agência IN)