Ibovespa recua 0,40% nesta quinta-feira

  •  
Ibovespa recua 0,40% nesta quinta-feira (Foto: Divulgação) Ibovespa recua 0,40% nesta quinta-feira

Nesta quinta-feira, 07, o principal índice acionário da BM&FBovespa, o Ibovespa, oscila entre ganhos e perdas em linha com o exterior e pressionado pelas ações da Petrobras. Há pouco, o índice, desvalorizava 0,40%, aos 56.263 pontos. O giro financeiro da bolsa marcava R$ 2.346 bilhões.

De acordo com relatório diário da Lerosa Investimentos, conseguindo se descolar do mercado externo, o Ibovespa seguiu sua trajetória de recuperação e subiu ontem, baseado novamente na alta da Petrobras e de alguns setores mais ligados ao mercado interno. Para hoje, o cenário geopolítico não ajuda, mas também não insere grandes preocupações das já inseridas até agora. Com isso, abre-se espaço para maiores altas dos ativos “estatais” na bolsa local. Fica também no ar a expectativa com Ibope de hoje à noite e da pesquisa Sensus a ser divulgada, possivelmente, no início da próxima semana. Ajuda na percepção geral a possibilidade do governo atual de antecipar algumas medidas para fugir do estigma da tarifa de 2015. A primeira medida seria o aumento do combustível, dando mais folga para a Petrobras cumprir seu ambicioso e promissor plano de investimento para o pré-sal.

Entre as oscilações positivas em destaque na sessão estão os papéis da Ultrapar (ON) que avançavam 2,80% e a Rossi (ON) que apresentavam alta de 1,54%. Em contrapartida, entre os destaques negativos, estão os papéis da BM&FBovespa (ON), que recuavam 2,56% e a Oi (PN) que apresentavam revés de 2,33%.

E abrindo a agenda de indicadores internos, a Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou que o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou deflação de 0,55% em julho. Dos 3 componentes do índice, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou em julho, deflação de 1,01%, Já o Índice de Preços ao consumidor (IPC) apresentou variação de 0,10%. E o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou taxa de variação de 0,75%.

Além disso, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) anunciou que a produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de junho atingiu 2,79 milhões de barris de óleo equivalente (BOE) por dia, sendo 2,246 milhões de barris diários de petróleo e 86,6 milhões de metros cúbicos de gás natural. O volume é superior ao do mês anterior, quando a produção de petróleo e gás natural totalizou 2,721 milhões de barris de óleo equivalente por dia.

No exterior o destaque fica por conta da Europa. Hoje, o Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter a taxa básica de juros no índice mínimo histórico de 0,15%, em vigor desde junho. A decisão era esperada pelos analistas. Eles acreditam que o BCE ainda considera que as medidas adotadas em junho para reativar a economia e afastar o fantasma da deflação não surtiram todos os efeitos.

(MR – Agência IN)