Bancos Centrais do mundo testam suas próprias moedas digitais

  •  
Bancos Centrais do mundo testam suas próprias moedas digitais (Foto: Pexels) Bancos Centrais do mundo testam suas próprias moedas digitais

Os bancos centrais em todo o mundo estão examinando a possibilidade de emitir uma moeda digital do banco central (CBDC), com alguns já testando os seus para diferentes usos. Os países que avançaram seus projetos de moeda digital incluem China, Cingapura, Canadá, Bahamas, Tailândia, Uruguai e Suécia. A Índia também incluiu a rupia digital no projeto de lei de criptomoedas do país.

De acordo com o Portal News Bitcoin, a país mais recente a afirmar que sua CBDC está quase pronta é a China. De acordo com relatos da mídia, o Banco do Povo da China (PBOC) está "quase pronto" para emitir a moeda digital soberana do próprio país. Isso foi revelado em um fórum realizado na província de Heilongjiang, no norte da China, em 10 de agosto por Mu Changchun, vice-diretor do departamento de pagamentos do PBOC.

Ele explicou que o CBDC usará um sistema de dois níveis em que tanto o Banco Central quanto as instituições financeiras serão emissores legítimos, observando que a moeda digital não dependeria apenas da tecnologia blockchain.

Além disso, a Autoridade Monetária de Cingapura (MAS) e o Banco do Canadá conduziram conjuntamente um experimento sobre pagamentos transnacionais e entre moedas usando CBDCs. Os dois bancos centrais ligaram suas respectivas redes de pagamento domésticas experimentais - o Projeto Jasper e o Projeto Ubin - com base em duas plataformas diferentes de tecnologia de contabilidade distribuída (DLT), descritas pela MAS em maio.

Outro país que está testando um CBDC é as Bahamas. O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou detalhes de sua discussão com o banco central das Bahamas em julho, incluindo o trabalho feito no CBDC do país. “Ao permitir transações peer-to-peer, por exemplo, através de e-wallets, um CBDC pode aumentar o acesso a sistemas de pagamentos digitais”, explicou o FMI.

Já o Banco da Tailândia (BOT) concluiu a segunda fase de testes de seu CBDC, chamado Project Inthanon. Iniciada em agosto do ano passado, a primeira fase concentrou-se no desenvolvimento de um sistema descentralizado de liquidação em tempo real (RTGS) em tempo real, que utiliza um CBDC em um livro-razão distribuído.

No Uruguai, o banco central concluiu um programa piloto em uma CBDC de varejo em abril do ano passado como parte de um programa mais amplo de inclusão financeira do governo.

O FMI explicou em um relatório de junho que vários bancos centrais estão examinando a emissão de uma CBDC, observando que aqueles em economias avançadas com queda no uso de dinheiro estão explorando a opção como um método de pagamento alternativo.

“As principais razões para considerar a CBDC estão reduzindo custos, aumentando a eficiência da implementação da política monetária, combatendo a concorrência de criptomoedas, garantindo a contestabilidade do mercado de pagamentos e oferecendo um instrumento de pagamento sem risco para o público”, detalha o relatório.

(Redação – Investimentos e Notícias)