Ambev lança máquinas para facilitar a troca de retornáveis

Ambev lança máquinas para facilitar a troca de retornáveis Foto: Divulgação Ambev lança máquinas para facilitar a troca de retornáveis

As tão populares garrafas de vidro retornáveis estão de volta. Com a embalagem retornável, o consumidor economiza no preço da cerveja e ainda gera menos impacto no meio ambiente. Para incentivando o uso das garrafas retornáveis e ajudar os consumidores a fazerem a troca, a cervejaria Ambev desenvolveu uma máquina que coleta as garrafas retornáveis. O equipamento, que já está presente em mais de 800 locais pelo Brasil, permite que o consumidor devolva as garrafas de vidro de maneira simples e prática: depois de comprar o primeiro vasilhame, o consumidor só precisa levar o casco vazio até máquina e, assim, retirar um ticket de desconto para a compra de um outro retornável. Os cupons não têm data de validade e devem ser entregues no caixa para que o valor das garrafas devolvidas seja descontado dos novos produtos. A economia com as garrafas retornáveis pode chegar até 30%, já que, após a primeira compra, o cliente não paga por uma nova embalagem.

Cada ponto de entrega tem capacidade para receber cerca de 130 garrafas de 300 ml. Essas embalagens, conhecidas como mirretornáveis, já estão disponíveis para as marcas Skol, Brahma e Antarctica. Qualquer uma delas pode ser entregue nas máquinas e o desconto gerado é válido para os três rótulos. Além de aliviar o bolso do consumidor, as garrafinhas retornáveis, por terem um ciclo de vida maior – elas chegam a ser reusadas 20 vezes - têm um impacto muito menor para o meio ambiente.

Para encontrar pontos de troca dos cascos, a Ambev também lançou uma nova plataforma, o site www.miniretornaveis.com.br, que indica os locais em que os clientes podem encontrar as máquinas de coleta. “Entendemos que sustentabilidade é uma relação de ganha-ganha. Neste caso, o consumidor economiza, menos embalagens são produzidas e, como consequência, há menos resíduo para ser lançado no meio ambiente. Por fim, a indústria e o supermercado ganham por conseguirem oferecer ao consumidor opções mais baratas e sustentáveis”, declara Felipe Cerchiari.

(Redação - Agência IN)