Campanha maliciosa no WhatsApp explora novo recurso de chamada de vídeo

  •  
Recurso já existente na plataforma Android ainda não está disponível para todos os usuários Foto: Divulgação Recurso já existente na plataforma Android ainda não está disponível para todos os usuários

Uma nova campanha maliciosa circulando no WhatsApp tem prometido o novo recurso de chamada de vídeo para usuários que ainda não o receberam. O ataque tem foco em donos de iPhone, já que o novo recurso de chamadas de vídeo já está disponível para usuários do Android. A campanha falsa envia um link para ativar o recurso: ao clicar no link, ao usuário será solicitado disseminar a mensagem para seus contatos e ao completar essa etapa, ele será direcionado para a instalação de softwares de origem duvidosa.

Ao completar as etapas, o usuário passará por vários direcionamentos, que dependendo da sua localização, exibirá sites suspeitos que informam supostos erros no aparelho, atualizações que devem ser feitas ou páginas que pedirão o número de telefone da vítima.

“Essa não é a primeira campanha maliciosa no WhatsApp que promete esse recurso”, afirma Fabio Assolini, analista de segurança da Kaspersky Lab Brasil, “Como agora o recurso está disponível oficialmente para usuários do Android, cibercriminosos estão aproveitando o interesse pelo recurso para enganar mais vítimas e assim lhes causar prejuízo”, completa o analista.

Entre os softwares oferecidos estão programas suspeitos de otimização do aparelho, navegadores e jogos. Alguns links ainda redirecionam as vítimas para páginas de serviços premium em que, caso o usuário informe seu número, será cadastrado nesses serviços e um valor semanal será descontado de sua conta, ou de seus créditos.

Aos usuários interessados no novo recurso, o conselho é esperar, pois brevemente o WhatsApp disponibilizará o recurso em todas as plataformas. Essa é uma tática comum dos criminosos, que exploram novos recursos e novidades de plataformas populares em seus golpes.

A Kaspersky bloqueia os links dessa campanha maliciosa em todos os seus produtos, inclusive no Kaspersky Internet Security e o Safe Browser, disponível para os aparelhos iOS.

(Redação - Agência IN)