SulAmérica lança seguros inéditos para PMEs

A SulAmérica, maior seguradora independente do País, trouxe ao mercado quatro novos produtos voltados a pequenas e médias empresas. Pela primeira vez, óticas e casas de festas e buffets contam com seguro específico para suas atividades, e academias, perfumarias e lojas de cosméticos também ganham apólices customizadas.

Sinais positivos na economia devem estimular PMEs em 2017

Ainda estamos nas primeiras semanas do ano, mas percebemos que, pelo menos por enquanto, as perspectivas do empresariado brasileiro para 2017 são positivas. O País foi tomado de grande desapontamento pelo frustrante desempenho da economia nos últimos tempos e, após o conturbado ano de 2016, os olhos do mercado se voltam para as perspectivas para este novo ano. A retomada do crescimento e do desenvolvimento se apresenta como um dos grandes desafios para a sociedade brasileira.

PMEs estão menos confiantes para o 1º semestre de 2017

Os pequenos e médios empresários brasileiros estão menos confiantes para o primeiro trimestre de 2017. É o que mostra o Índice de Confiança do Pequeno e Médio Empresário (IC-PMN), ao registrar 63,14 pontos, resultado 3,1% menor quando comparado ao quarto trimestre de 2016. A pesquisa é elaborada pelo Centro de Estudos em Negócios do Insper, com apoio do Santander.

 

Cresce contratação de freelancers por pequenos negócios

Cerca de 38% das pequenas empresas no Brasil possuem mais da metade de suas equipes formada por profissionais freelancers. É o que aponta a pesquisa realizada pela Workana (www.workana.com.br), plataforma de trabalho freelance que possui atuação em toda a América Latina. O estudo elenca informações importantes sobre o cenário de contratação de freelancers no país. Além da quantidade de profissionais contratados, ainda aborda o porte das empresas contratantes, principais motivos e intenções de investimentos na modalidade.

Uma em cada três PMEs brasileiras já começou a adotar serviços na nuvem

Os investimentos em TI pelas pequenas e médias empresas brasileiras deve saltar de US$ 48 bilhões em 2016 para US$ 63 bilhões até 2020, com as tecnologias baseadas em computação em nuvem e mobilidade crescendo de três a sete vezes mais rapidamente do que as tecnologias tradicionais on premise. Os dados são da pesquisa 2016 Brazil Small & Medium Business: ICT & Cloud Services Tracker Overview, realizada pela AMI Partners a pedido da Intel Brasil. O estudo mapeou tendências e perspectivas na migração para novas tecnologias em todo o universo brasileiro de pequenas e médias.

Assinar este feed RSS