BC acerta e bancos precisam diminuir juros a pessoa física

O presidente em exercício da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Roberto Mateus Ordine, diz que a decisão do Banco Central (BC) de manter a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% ― menor nível da série histórica ― foi acertada. “Precisamos também que o Banco Central atue mais intensamente junto ao mercado financeiro para aumentar a concorrência entre os bancos e reduzir os compulsórios, a fim de diminuir os juros para pessoa física, que ainda estão muito altos (em 30,5% a.a.), aproximando-os assim do juro básico da economia, de 6,5%”.

  • Publicado em Economia

Ata do Copom mostra recuperação da economia brasileira

A Ata do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), divulgada nesta terça-feira, 07, mostra que os membros do Comitê concordaram que os indicadores recentes da atividade econômica refletem os efeitos da paralisação no setor de transporte de cargas, mas há evidências de recuperação subsequente. E que cenário básico contempla continuidade do processo de recuperação da economia brasileira, em ritmo mais gradual do que aquele esperado antes da paralisação.

Juros elevados são um dos nós górdios da economia, diz Abit

Fernando Valente Pimentel, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), salienta que os juros reais brasileiros ainda estão muito altos, se comparados à média internacional, afetando a competitividade do País. Ele cita o ranking do site MoneYou e da Infinity Asset Management, no qual a taxa básica do País é a sétima maior do mundo apesar de estar no nível mais baixo já visto na nossa história recente.

ACSP aponta como acertada decisão do Copom

Para a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a decisão de hoje do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) de manter a taxa básica de juros (Selic) em 6,5% foi acertada. O superintendente institucional da entidade, Marcel Solimeo, aponta três razões econômicas para a manutenção da taxa:

Mercado aguarda reunião do Copom

Apesar da tendência de queda no médio prazo o dólar deve oscilar bastante esta semana. Hoje, a moeda americana abriu em queda e logo depois virou e passou a subir. Essa volatilidade deve continuar durante o dia. 

  • Publicado em Dólar

FIRJAN considera decisão do Copom acertada e defende urgência de reformas estruturais

O Sistema FIRJAN considera acertada a decisão do Copom de manter a taxa básica de juros em 6,50% ao ano. Desde a última reunião do colegiado, as projeções para o PIB recuaram em torno de 1 ponto percentual e já apontam para um crescimento abaixo de 2% em 2018. Além disso, a inflação atual e a projetada encontram-se abaixo do centro da meta estabelecida.

Assinar este feed RSS