RENOVA ENERGIA S/A - Acordo de Investimento para Desenvolvimento de Projeto Eólico

  •  

renovaenergia

RENOVA ENERGIA S.A.
CNPJ/MF Nº 08.534.605/0001-74
NIRE 35.300.358.295
Fato Relevante

A Renova Energia S.A. (RNEW11) (“Companhia” ou “Renova”), primeira empresa dedicada à geração de energia renovável listada na BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, comunica que conforme divulgado em Fato Relevante no dia 21 de março de 2014, a Cemig Geração e Transmissão S.A. (“Cemig GT”)
sagrou-se vencedora do leilão publicado pela Companhia em 07 de fevereiro de 2014. Referido leilão, tinha como objetivo a comercialização de 295 MW médios e desenvolvimento de projeto eólico composto por 25 parques eólicos que somam 676,2 MW de capacidade instalada no município de Jacobina/BA (“Projeto Eólico”). De acordo com o edital, o vencedor do leilão tinha a opção de participar em até 50% do Projeto Eólico.

Considerando o interesse do exercício da opção pela Companhia Energética de Minas Gerais (“CEMIG”), foi celebrado Contrato de Investimento de Compromisso de Compra e Venda de Ações entre a Companhia e a CEMIG (“Acordo de Investimento”).

Conforme o Acordo de Investimento, a operação ocorrerá mediante a aquisição, pela CEMIG, de 50% do capital votante e total de uma sociedade anônima (“SPE”) a ser criada pela Renova, na qual serão integralizados todos os contratos relacionados ao Projeto Eólico. O valor da aquisição será de até R$113.450.409,32 (cento e treze milhões, quatrocentos e cinquenta mil, quatrocentos e nove reais e trinta e dois centavos) referente a 50% dos valores dos adiantamentos dos contratos já firmados pela Renova, corrigido pela variação do CDI – Certificado de Depósito Interbancário - desde o seu efetivo desembolso pela Renova até a data do pagamento pela CEMIG. A partir da aquisição, CEMIG e Renova compartilharão o investimento futuro do Projeto Eólico na proporção de sua participação no capital social da SPE.

A celebração do Acordo de Investimento está sujeita ainda a condições suspensivas, em especial a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

São Paulo, 17 de julho de 2014.

Pedro Villas Boas Pileggi
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

Última modificação emSexta, 18 Julho 2014 13:38