Vendas totais dos shoppings da Aliansce crescem 13,7%

  •  
Vendas totais dos shoppings da Aliansce crescem 13,7% (Foto: Divulgação) Vendas totais dos shoppings da Aliansce crescem 13,7%

A Aliansce Shopping Centers anuncia seus resultados do 3º trimestre de 2017 (3T17) e dos 9 meses de 2017 (9M17). A Companhia ao final do 3T17 detinha participação em 20 shopping centers, totalizando 454,1 mil m² de ABL própria e 720,6 mil m² de ABL total, além de uma torre comercial de 20,4 mil m² de ABL. Adicionalmente, a Companhia atua como prestadora de serviços de planejamento, administração e comercialização de 12 shoppings centers de terceiros.

A Companhia registrou crescimento de vendas de dois dígitos pelo segundo trimestre consecutivo. As vendas totais dos shoppings da Aliansce alcançaram R$ 1,4 bilhões no 3T17, crescimento de 13,7% em relação ao 3T16. Artigos do lar & escritório apresentaram a maior expansão de vendas dentre os segmentos de lojas, com aumento de 17,7%, seguido dos segmentos de vestuário e lazer & serviços, que cresceram 17,4% e 16,9%, respectivamente. Na base mesmos shoppings, as vendas totais cresceram 7,6%. Atualmente, o segmento mais representativo no portfólio é vestuário, responsável por 37,1% das vendas totais no trimestre.

Obteve melhor performance dos lojistas e esforços de cobrança reduziram a inadimplência líquida. No terceiro trimestre, a inadimplência líquida atingiu 2,8%, uma redução de 1,9 p.p. sobre o mesmo período de 2016. Essa queda é resultado da melhor performance dos shoppings, reforçados pela entrada de novos lojistas, com operações mais eficientes, o que resultou na redução da inadimplência bruta e, consequentemente, o custo de provisão para devedores duvidosos (PDD). Além disso, a Aliansce tem mantido seus esforços de recuperação de inadimplência.

Melhora de mix por meio de substituição de lojas continua em ritmo intenso. Nos últimos 12 meses, foram comercializadas 435 lojas em shoppings próprios da Aliansce, crescimento de 24,6% sobre o 3T16. Desde o 3T16, 195 lojas do portfólio foram trocadas. O SAS das lojas trocadas nos últimos 12 meses, excluindo ocupação de áreas vagas, aumentou 27,4%. A taxa de ocupação do portfólio atingiu 95,6% ao final do trimestre, uma pequena queda de 0,1 p.p. em relação ao 2T17.

Crescimento dos resultados operacionais e reestruturação da dívida alavancaram o AFFO por ação. O FFO Ajustado (AFFO) da Companhia atingiu R$ 42,9 milhões, com crescimento de 107,7%, sendo que a margem AFFO cresceu 15,9 p.p. Nos primeiros nove meses do ano, o AFFO atingiu R$ 120,6 milhões, crescimento de 104,4% em relação ao 9M16. O AFFO por ação (AFFOPS) foi de 0,21 no 3T17 e 0,59 em 9M17, aumentos de 66,7% e 64,1%, respectivamente.

As vendas totais por m² aumentaram 6,7% e vendas por m² de lojas satélite aumentaram 7,5% no trimestre. Na base mesmos shoppings, as vendas por m² aumentaram 4,8% no portfólio e 5,4% nas lojas satélite. Em agosto de 2016, shoppings no Rio de Janeiro foram afetados positivamente pelo efeito dos Jogos Olímpicos, o que criou uma base de comparação mais forte para 2017. Entretanto, em setembro de 2017, as vendas voltaram a acelerar, o que levou a um número positivo de vendas no terceiro trimestre.

(Redação – Agência IN)