Vale anuncia lucro líquido de R$ 25,7 bi em 2018

  •  
Vale anuncia lucro líquido de R$ 25,7 bi em 2018 (Foto: Pexels) Vale anuncia lucro líquido de R$ 25,7 bi em 2018

O lucro líquido da Vale em 2018 foi de R$ 25,7 bilhões, ficando R$ 8,0 bilhões acima de 2017 devido, principalmente, à maior geração de caixa medida pelo EBITDA de R$ 12,1 bilhões e ao menor impacto do resultado negativo proveniente das operações descontinuadas de R$ 2,2 bilhões, que foram parcialmente compensados pelo efeito contábil negativo predominantemente nãocaixa da desvalorização do BRL de 14,5% no ano de 2018, que reduziu o lucro líquido em R$ 9,3 bilhões.

Os investimentos em 2018 permaneceram em linha com 2017, totalizando US$ 3,784 bilhões, sendo compostos por US$ 888 milhões em execuções de projetos e US$ 2,896 bilhões na manutenção das operações.

A Vale conseguiu atingir sua meta de dívida líquida de US$ 10 bilhões, reduzindo-a para US$ 9,650 bilhões em 31 de dezembro de 2018, uma diminuição de US$ 8,493 bilhões em comparação à posição de em 31 de dezembro de 2017. A alavancagem, medida pela dívida líquida/LTM8 EBITDA, reduziu-se para 0,6x.

A dívida bruta totalizou US$ 15,466 bilhões em 31 de dezembro de 2018, o que representou uma redução de US$ 1,344 bilhão em relação a 30 de setembro de 2018 e de US$ 7,023 bilhões em relação a 31 de dezembro de 2017. A redução da dívida bruta em relação a 2017 deveu-se, principalmente, ao repagamento de US$ 7,753 bilhões em 2018, incluindo a recompra de bonds com vencimento em 2020, 2021, 2022, 2036 e 2042.

Vale lembrar que como resultado da ruptura da Barragem I da mina Córrego do Feijão em Brumadinho (MG), em 27 de janeiro de 2019, o Conselho de Administração da Vale, em reunião extraordinária, deliberou a suspensão da Política de Remuneração aos Acionistas, e o não pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio, bem como qualquer outra deliberação sobre recompra de ações de sua própria emissão.

Por fim, os impairments em ativos e o reconhecimento de contratos onerosos (excluindo impairments em investimentos6 ) de operações continuadas, ambos sem efeito caixa, totalizaram R$ 2,2 bilhões em 2018, devido, principalmente, aos custos com contratos de longo prazo do Sistema Centro-Oeste para transporte fluvial e serviço portuário, que possuem volume mínimo garantido (R$ 1,5 bilhão).

(Redação – Investimentos e Notícias)