Usiminas anuncia prejuízo líquido de R$44,9 mi no 4T17

  •  
Usiminas anuncia prejuízo líquido de R$44,9 mi no 4T17 (Foto: Divulgação) Usiminas anuncia prejuízo líquido de R$44,9 mi no 4T17

A receita líquida da Usiminas do quarto trimestre de 2017 (4T17) foi de R$3,1 bilhões, contra 2,7 bilhões no 3T17, uma elevação de 12,4% devido ao maior volume de vendas nas Unidades de Siderurgia e Mineração, destacando-se o aumento de 8,6% na receita de siderurgia e de 287,3% nas exportações de minério de ferro. 

No ano de 2017, a receita líquida foi de R$10,7 bilhões, contra R$8,5 bilhões em 2016, um crescimento de 27,0% em função de maiores volume de venda de aço e minério de ferro, bem como da elevação dos preços médios ao longo do ano.

A Companhia apresentou prejuízo líquido de R$44,9 milhões no 4T17, contra lucro líquido de R$75,9 milhões no 3T17. No ano de 2017, a Companhia apresentou lucro líquido de R$315,1 milhões, contra um prejuízo líquido de R$576,8 milhões em 2016, uma significativa melhora de R$891,9 milhões.

No 4T17, o CPV totalizou R$2,7 bilhões, maior em 11,9% em relação ao do 3T17, que foi de R$2,4 bilhões. Para informações detalhadas, veja as sessões das Unidades de Negócio neste documento. A margem bruta foi de 13,5%, contra 13,1% no 3T17. 

Em 2017, o CPV foi de R$9,1 bilhões, contra R$8,0 bilhões em 2016, um crescimento de 14,2%. Para informações detalhadas, veja as sessões das Unidades de Negócio neste documento. A margem bruta no ano de 2017 foi de 15,2%, contra 5,8% em 2016.

O EBITDA Ajustado do 4T17 foi de R$450,4 milhões, contra R$452,8 milhões no 3T17. A margem de EBITDA Ajustado no 4T17 foi de 14,6% contra 16,5% no 3T17. 

No ano de 2017, o EBITDA Ajustado foi de R$2,2 bilhões, contra R$660,4 milhões em 2016, principalmente devido ao melhor desempenho das Unidades de Negócio de Siderurgia, Mineração e Transformação do Aço. A margem de EBITDA Ajustado no ano de 2017 atingiu 20,4%, contra 7,8% em 2016.

O resultado financeiro foi negativo em R$172,1 milhões no 4T17, contra R$65,0 milhões negativo no 3T17, uma elevação de 165% principalmente em função de perdas com variação cambial registradas no 4T17 no montante de R$56,1 milhões, em decorrência da desvalorização do Real frente ao Dólar de 4,4% no período, contra ganhos cambiais de R$56,0 milhões no 3T17, em função da valorização do Real frente ao Dólar em 4,2%.

No ano de 2017, o resultado financeiro líquido foi de R$462,9 milhões negativos, contra R$30,1 milhões negativos em 2016, principalmente em função da desvalorização do Real frente ao Dólar de 1,5% em 2017, contra uma valorização de 16,5% em 2016, que resultou em perdas cambiais de R$21,6 milhões em 2017 contra ganhos cambiais de R$639,1 milhões em 2016.

Por fim, o ano de 2017 apresentou despesas com operações de swap de R$0,1 milhão contra despesas de R$302,1 milhões em 2016, em função da renegociação das dívidas da Companhia iniciada em 2016, onde alguns contratos, alvos da renegociação, foram encerrados e substituídos por novos instrumentos de dívidas colaborando assim para o aumento destas despesas.

(Redação – Investimentos e Notícias)