Tecnisa anuncia prejuízo bruto de R$ 2 mi no 2T20

  •  
	 Tecnisa anuncia prejuízo bruto de R$ 2 mi no 2T20 (Foto: Pexels) Tecnisa anuncia prejuízo bruto de R$ 2 mi no 2T20

No 2T20, a Receita Operacional Bruta de venda de imóveis e serviços prestados pela Tecnisa foi de R$ 35 milhões, uma queda de 28% em relação ao 2T19 e queda de 23% em relação ao 1T20, devido, principalmente, ao menor volume de vendas contratadas no período de unidades de empreendimentos consolidados integralmente. O Índice Nacional de Custo da Construção – INCC no período, indexador que corrige a carteira de recebíveis de obras em andamento, totalizou 0,68% no 2T20, versus 0,73% no 2T19 e 0,92% no 1T20.

No acumulado do ano, a Receita Operacional Bruta alcançou R$ 81 milhões, uma queda de 51% se comparado ao 1S19. Cabe ressaltar que o resultado do 1S19 foi beneficiado pela venda de um terreno em Guarulhos por R$ 60 milhões.

A Receita Operacional Líquida no 2T20 foi de R$ 34 milhões, redução de 29% em relação ao 2T19 e redução de 23% em relação ao 1T20. Nos seis primeiros meses do ano, a rubrica totalizou R$ 78 milhões, ante R$ 160 milhões no mesmo período do ano anterior, representando uma redução de 51%. Os principais motivos das oscilações da conta estão detalhados na rubrica “Receita Operacional Bruta”.

O Custo dos Imóveis Vendidos e dos Serviços Prestados no 2T20 foi de R$ 36 milhões, diminuição de 34% quando comparado aos R$ 54 milhões reportados no 2T19 e diminuição de 31% em relação do 1T20. No acumulado do ano, o Custo dos Imóveis Vendidos e dos Serviços Prestados somou R$ 87 milhões, uma diminuição de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior.

O 2T20 totalizou um Prejuízo Bruto de R$ 2 milhões, que se compara a um Prejuízo Bruto de R$ 7 milhões registrado no 2T19 e Prejuízo Bruto de R$ 7 milhões no 1T20. O prejuízo no trimestre está associado, majoritariamente, a gastos com assistência técnica superiores ao provisionado e perdas em rescisão de contratos. A Margem Bruta no trimestre foi de - 5 %, sendo 9 p.p. superior ao 2T19 e 11 p.p. superior ao 1T20. No acumulado do ano, a Companhia totaliza um Prejuízo Bruto de R$ 9 milhões, que se compara ao Lucro Bruto de R$ 33 milhões reportado no 1S19. Cabe ressaltar que a comparação com o 1S19 está prejudicada pela alienação no período de um terreno em Guarulhos, que beneficiou o resultado com um lucro bruto de R$ 35 milhões.

As Despesas com Vendas no 2T20 foram de R$ 3 milhões, representando 10% da Receita Líquida. Para efeitos comparativos, as Despesas com Vendas no 2T19 e no 1T20 foram de R$ 6 milhões e R$ 5 milhões, representando 12% e 11% da Receita Líquida, respectivamente. Além das despesas com publicidade e propaganda ocorridas no trimestre, as Despesas com Vendas contemplam os gastos com a manutenção e depreciação dos estandes de venda. No acumulado do ano, as Despesas com Vendas somam R$ 8 milhões, uma queda de 14% em relação ao 1S19.

A Companhia manteve o controle sobre as Despesas Gerais e Administrativas, que fecharam o 2T20 em R$ 16 milhões, redução de 6% em relação a 2T19 e crescimento de 1% em relação ao 1T20.

As Outras Receitas (Despesas) Operacionais somaram uma despesa de R$ 20 milhões no 2T20, representando -58% da Receita Líquida, contra despesa de R$ 106 milhões no 2T19, que representou -225% da Receita Líquida e despesa de R$ 33 milhões no 1T20 (-75% da Receita Líquida).

No 2T20 o EBITDA totalizou um prejuízo de R$ 37 milhões, com Margem EBITDA de -111%. Para efeitos comparativos, a Tecnisa apresentou um prejuízo de R$ 126 milhões com margem de -267% no 2T19 e prejuízo de R$ 51 milhões com margem de -115% no 1T20. No primeiro semestre do ano, o EBITDA apresentou um prejuízo de R$ 88 milhões com uma Margem EBITDA de -113%.
No 2T20, a Tecnisa apresentou um Resultado Financeiro Líquido de -R$ 0,2 milhões, melhora de 99% em relação aos -R$ 16 milhões registrados no 2T19 e melhora de 97% em relação aos -R$ 6 milhões do 1T20. No 1S20, o Resultado Financeiro Líquido foi de -R$ 6 milhões.

Como resultado dos efeitos anteriormente analisados, a Tecnisa finalizou o 2T20 com uma perda de R$ 40 milhões, que se compara a uma perda de R$ 144 milhões no 2T19 e a uma perda de R$ 58 milhões do 1T20. Com isso, no trimestre, a Companhia apresentou uma Margem Líquida de -119% versus -305% no 2T19 e -133% no 1T20. No ano, o resultado foi de prejuízo de R$ 99 milhões, redução de 32% em relação a 2019.

(Redação – Investimentos e Notícias)