JBS teve rating elevado pela Moody’s

A JBS anunciou que a agência de rating Moody’s elevou a classificação da JBS S.A. de B3 para B1 e da sua subsidiária JBS USA Lux S.A. (“JBS USA”) de B2 para B1. A perspectiva para todos os ratings é estável.

Delações da JBS influenciam mercado financeiro

O dólar está em queda nesta terça-feira (5) e bolsa de valores em alta, no dia seguinte ao anúncio do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de abrir investigação para avaliar a omissão de informações nas negociações das delações de executivos da empresa JBS.

JBS pagará indenização de R$ 10 milhões a trabalhadores demitidos em 2011

O Ministério Público do Trabalho de São Paulo (MPT) fechou acordo para pagamento de indenização dos trabalhadores demitidos da unidade da empresa JBS de Presidente Epitácio (SP), em setembro de 2011, quando o frigorífico encerrou temporariamente suas atividades na cidade. Pelo acordo fechado nessa quinta-feira (25), segundo informações do MPT, a empresa pagará um valor total de R$ 10 milhões aos mais de mil demitidos.

Wesley Batista negocia acordo de leniência da J&F com MP

O executivo Wesley Batista está, desde o início da tarde de hoje (24), acompanhado de advogados na sede do Ministério Público Federal no Distrito Federal negociando um acordo de leniência do grupo J&F, que controla a JBS. A empresa ofereceu hoje R$ 4 bilhões para fechar o acordo, o que não foi aceito pelo MPF. As negociações continuam, e não há previsão de que o acordo seja fechado ainda hoje.

 

Agência Moody's rebaixa rating da JBS por “aumento de riscos”

A agência de classificação de risco Moody's rebaixou e colocou em revisão os ratings da empresa JBS. O grupo brasileiro, maior companhia de carne bovina do mundo, é um dos protagonistas da crise política no país desde a semana passada, quando vieram à tona os detalhes de delação premiada feita por seus fundadores, os irmãos Joesley e Wesley Batista.

 

JBS depositou US$ 150 mi em contas destinadas a Dilma e Lula

O dono do grupo JBS, Joesley Batista, disse em depoimentos de delação premiada que fez depósitos em contas no exterior no valor de US$ 70 milhões para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de US$ 80 milhões para a ex-presidente Dilma Rousseff. O valor total dos depósitos teria atingido US$ 150 milhões em 2014. As informações estão no vídeo do depoimento divulgado hoje (19) pelo Supremo Tribunal Federal (STF), depois que o ministro Edson Fachin retirou o sigilo das delações dos empresários da JBS.

Delação de donos da JBS é divulgada pelo STF e tem cerca de 2 mil páginas

O Supremo Tribunal Federal (STF) divulgou há pouco a íntegra da delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos do grupo JBS, controlador do frigorífico Friboi. A medida foi tomada após o ministro Edson Fachin homologar os depoimentos, firmados com a Procuradoria-Geral da República (PGR). São cerca de 2 mil páginas. As oitivas foram gravadas em vídeo.

Assinar este feed RSS