Mercado de capitais representa 34% de investimentos no Brasil

Segundo a ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), os recursos levantados pelas empresas no mercado de capitais já representam 34% dos investimentos no Brasil neste ano, de acordo com o relatório do PIB divulgado hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre janeiro e setembro de 2019, foram emitidos R$ 282,0 bilhões via instrumentos do mercado de capitais, enquanto o investimento total no país chegou a R$ 833,8 bilhões.

Na comparação ao mesmo período de 2018, a participação das operações domésticas entre os recursos para investimentos avançou nove pontos base, e sobre 2017, quando houve o início do processo de redução dos subsídios do BNDES às companhias privadas, o crescimento foi de 15 pontos base. Considerando a série histórica da ANBIMA, iniciada em 2002, o resultado de 2019 só perde para 2010, quando foi registrada participação de 34,9% (naquele ano, o PIB avançou 7,5%).

Índice de debêntures atreladas à taxa DI tem primeira queda da história

Segundo dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), em novembro, o IDA (Índice de Debêntures ANBIMA)/DI, indicador que representa as debêntures remuneradas pela taxa DI, teve recuo de 0,07%.

De acordo com a entidade, é a primeira vez que o subíndice teve resultado negativo desde sua criação em 2009. Esse movimento foi decorrente de ajustes de preços no mercado secundário no período.

 

Toro Investimentos incentiva brasileiros a investirem durante a Black Friday

Durante a Black Friday, a Toro Investimentos irá incentivar os brasileiros a começar investir ou a diversificar os investimentos que já possuem. Uma das opções é a Letra de Câmbio, que apesar do nome, não está ligado ao investimento em outra moeda, como o dólar por exemplo. “É um investimento emitido por financeiras, que por serem de menor porte que os grandes bancos, tendem a oferecer uma rentabilidade mais alta, para atrair os investidores. Essa pode ser considerada uma das vantagens do produto, a alta rentabilidade oferecida”, disse Thiago Silva, analista de investimentos da Toro Investimentos.

Carteira recomendada da Toro Investimentos para novembro de 2019

O mês de novembro chegou com o Ibovespa batendo recordes de alta. Os motivos desse fluxo mais comprador já são velhos conhecidos dos investidores: a aprovação da reforma da previdência finalmente aconteceu - o que já era esperado - e o clima mais ameno no cenário internacional, com a trégua na guerra comercial entre EUA e China. 

Indústria brasileira de fundos tem captação líquida de R$ 775,8 mi

A indústria brasileira de fundos de investimento teve captação líquida de R$ 775,8 milhões entre os dias 1º e 4 de outubro, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). O destaque é para a classe de ações, com ingressos líquidos de R$ 2 bilhões no período. No ano, até 4 de outubro, a indústria de fundos acumula captação líquida de R$ 210,6 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Assinar este feed RSS