Indústria paulista gera 6,5 mil postos de trabalho em janeiro, mostra Fiesp

Depois de perder 518 mil postos de trabalho nos últimos três anos, a indústria paulista registrou saldo positivo de 6.500 vagas em janeiro, variação positiva de 0,31% na comparação com dezembro de 2016, sem ajuste sazonal. Na comparação com o mês anterior, com ajuste sazonal, o valor foi -0,24%. O resultado positivo do mês é o primeiro registrado desde abril de 2015, quando foram feitas 6.000 contratações. Já na análise de janeiro deste ano contra o mesmo mês do ano anterior, a variação ficou negativa em 5,73%, com demissão de 132 mil trabalhadores. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), divulgada nesta quinta-feira (16/2).

Expectativa da indústria melhora em janeiro, mostra Ceper/Fundace

O Boletim da Indústria do mês de janeiro de 2017 do Ceper/Fundace mostra que a indústria começa 2017 com uma expectativa de melhora. O levantamento, que traz os Índices de Sondagem Industrial para as indústrias brasileiras e o Índice de Confiança do Empresário Industrial Brasileiro (ICEI) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta que o valor para demanda de produtos foi de 51,9 neste primeiro mês do ano, indicando uma expectativa de melhora, ainda mais considerando que a demanda ficou abaixo de 50 nos meses anteriores.

Indústria brasileira volta a reduzir investimentos, mostra CNI

2016 foi o terceiro ano consecutivo de grandes dificuldades para a indústria, o que comprometeu os planos de investimento das empresas, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A demanda permaneceu baixa, o acesso ao crédito continuou desafiador e a ociosidade terminou o ano passado em nível recorde. A incerteza econômica foi apontada como principal razão para a frustração dos planos de investimento de 80% das empresas em 2016 e como a principal razão para a decisão de não investir em 2017 de 89% das empresas.

Produção industrial cresce em 10 dos 14 locais pesquisados

Nesta terça-feira, 07, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou um aumento no ritmo da produção industrial nacional na passagem de novembro para dezembro de 2016, série com ajuste sazonal, foi acompanhado por dez dos 14 locais pesquisados, com destaque para o avanço de 12,4% registrado pelo Ceará, eliminando, assim, a perda de 8,4% acumulada entre os meses de agosto e novembro. 

PMI industrial do Brasil atinge os 44 pontos em janeiro

As condições de negócios no setor industrial do Brasil se deterioraram em janeiro, como tem sido o caso ao longo dos últimos dois anos. O declínio foi generalizado, com a quantidade de registros de pedidos, os volumes de produção e de pedidos para exportação, os níveis de compra e de estoques, e o número de pedidos em atrasos diminuindo nas categorias de bens de consumo, intermediários e de investimento. Ao mesmo tempo, as pressões inflacionárias se intensificaram.

Produção industrial cresce 2,3% em dezembro

Em dezembro de 2016, a produção industrial nacional cresceu 2,3% frente ao mês anterior, na série livre de influências sazonais, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa foi a segunda taxa positiva consecutiva, acumulando expansão de 2,6%. No confronto com dezembro de 2015 (série sem ajuste sazonal), a variação foi de -0,1%, 34ª taxa negativa consecutiva nesse tipo de comparação, mas a menos intensa da sequência.

Indústria da construção encerra 2016 com queda

A indústria da construção, que operou durante todo o ano com alta ociosidade, encerra o ano de 2016 com queda mais acentuada da atividade e do emprego, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Entre os problemas apontados pelos empresários o principal é a demanda interna insuficiente, resultado da crise econômica pela qual o Brasil vem passando desde 2014. Em seguida, encontram-se a elevada carga tributária, a alta taxa de juros e a falta de capital de giro.

Assinar este feed RSS