Taxa de desocupação cai em 11 das 27 UFs no 2º trimestre, aponta IBGE

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no 2º trimestre de 2017, a taxa de desocupação, no Brasil, foi estimada em 13,0%, com retração em todas as grandes regiões, exceto Nordeste (estabilidade), com destaque para a região Norte (de 14,2% para 12,5%) e Centro-Oeste (de 12,0% para 10,6%). 

Setor de serviços cresce em junho, mostra IBGE

Em junho, o setor de serviços apresentou crescimento de 1,3% no volume de serviços prestados frente a maio (série com ajuste sazonal), após ter registrado crescimento de 0,5% em maio (revisado) e de 1,1% em abril, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Safra de grãos deverá ser maior em julho, prevê IBGE

A estimativa de julho de 2017 para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 242,1 milhões de toneladas, com alta de 31,1% em relação a 2016 (184,7 milhões de toneladas), um aumento de 57,4 milhões de toneladas. A estimativa da área a ser colhida (61,1 milhões de hectares) subiu 7,1% frente à área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). Em relação às estimativas de junho, a produção cresceu 1,8 milhão de toneladas (0,7%) e a área cresceu 74,5 mil hectares (0,1%). São esperados recordes na produção da soja (115,0 milhões de toneladas) e do milho (99,4 milhões de toneladas).

Índice Nacional da Construção Civil varia 0,58% em julho/2017

O Índice Nacional da Construção Civil (SINAPI) apresentou variação de 0,58% em julho, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa foi a maior taxa do ano de 2017, situando-se 0,20 ponto percentual acima dos 0,38% de junho. Os últimos doze meses ficaram em 4,25%, resultado acima dos 3,86% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em julho de 2016 o índice foi 0,20%.

Em junho, IBGE prevê safra de grãos 30,1% maior

A estimativa de junho do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 240,3 milhões de toneladas, com alta de 30,1% em relação à obtida em 2016 (184,7 milhões de toneladas), um aumento de 55,6 milhões de toneladas. A estimativa da área a ser colhida (61,0 milhões de hectares) subiu 7,0% frente à área colhida em 2016 (57,1 milhões de hectares). São esperados recordes na produção da soja (114,8 milhões de toneladas) e do milho (97,7 milhões de toneladas). Em relação a 2016, houve acréscimos de 2,3% na área a ser colhida da soja, de 17,7% no milho e 3,6% no arroz. Já a produção subiu 19,5% para a soja, 14,9% para o arroz e 53,5% para o milho.

Indústria cresce na maioria dos locais pesquisados em maio

O crescimento no ritmo da produção industrial nacional, na passagem de abril para maio de 2017, série com ajuste sazonal, foi acompanhado por dez dos quatorze locais pesquisados, com destaque para os avanços mais intensos assinalados por Ceará (5,9%), Bahia (3,6%) e Pará (3,1%), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com esses resultados, o primeiro local apontou a segunda expansão consecutiva, acumulando nesse período ganho de 7,3%; o segundo reverteu o recuo de 0,7% registrado no mês anterior; e o terceiro eliminou parte da perda de 7,5% acumulada entre fevereiro e abril de 2017. Rio Grande do Sul (2,5%), São Paulo (2,5%), Santa Catarina (1,4%), Paraná (1,4%), Região Nordeste (1,3%), Goiás (0,8%) e Pernambuco (0,1%) completaram o conjunto de locais com aumento na produção nesse mês. Por outro lado, Amazonas (-3,6%) apontou o resultado negativo mais acentuado e intensificou a queda de 0,6% verificada no mês anterior. As demais taxas negativas foram assinaladas por Espírito Santo (-1,9%), Rio de Janeiro (-1,6%) e Minas Gerais (-0,2%).

INPC varia -0,30% em junho, revela IBGE

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) apresentou variação de -0,30% em junho e ficou bem menor do que a taxa de 0,36% de maio, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado dos últimos doze meses, o índice desceu para 2,56%, ficando abaixo dos 3,35% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em junho de 2016, o INPC registrou 0,47%. 

Índice de Preços ao Produtor (IPP) varia 0,12% em maio

Em maio de 2016, os preços da indústria geral variaram, em média, 0,12% quando comparados ao mês anterior, número superior ao de abril (-0,11%), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre as 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação, 16 apresentaram variações positivas de preços, contra 13 do mês anterior. O acumulado do ano ficou em -0,07%, contra -0,19% em abril, e o acumulado em 12 meses foi de 2,26%, contra 3,06% em abril. Em maio de 2016, o índice ficou em 0,90%.

Assinar este feed RSS