Senior cresce 33% no 1T19 e tem faturamento acima de R$ 100 mi

Com expectativa de faturamento anual de R$ 1 bilhão até 2023, a Senior segue crescendo. A companhia, referência nacional em software para gestão empresarial, alia o resultado orgânico a uma forte estratégia de avanço no mercado de tecnologia, que engloba aquisições e investimentos em inovação. No primeiro trimestre deste ano cresceu 33% em relação ao mesmo período de 2018, superando os R$ 100 milhões de faturamento. O resultado leva em consideração os números da Mega, empresa com sede em Itu (SP) adquirida em dezembro de 2018. A expectativa para 2019 é de que a Senior encerre o ano com faturamento superior a R$ 420 milhões.

Distribuir recursos orçamentários: Uma missão nada fácil!

Ocupar uma posição de gestão não é tarefa fácil. As preocupações do líder vão muito além de gerir pessoas e seus projetos. É preciso acompanhar toda a movimentação interna e externa à companhia, para que dessa forma seja possível se adaptar ao dinamismo do mercado e suas mudanças diárias. E, ainda, manter o olhar cauteloso para dentro da empresa.

Termomecanica desenvolve projeto para apoiar força de vendas

Visando otimizar e trazer mobilidade para o dia a dia de sua força de vendas, a Termomecanica, uma das maiores indústrias privadas brasileiras e líder no setor de transformação do Cobre e suas ligas, desenvolveu um projeto para aprimorar a gestão do relacionamento com seus clientes e prospects. 

Gestão correta é principal forma de combater o absenteísmo

Em um momento econômico crítico, de enxugamento de mão de obra e de custos nas empresas e indústrias, o absenteísmo – que engloba faltas e afastamentos por parte do trabalhador – é um dos principais agravantes neste cenário. Em 2014, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), se somados os dias de afastamento e faltas de todos os trabalhadores, o Brasil teve 35 milhões de dias parados, o que gera altos custos para a indústria.

Gestão de riscos trabalhistas

A gestão de riscos trabalhistas consiste na adoção de políticas internas que visem à melhor administração dos recursos humanos, reduzindo ao máximo não apenas o número de reclamações trabalhistas, como também o “resultado financeiro” dessas reclamatórias. O termo “resultado financeiro” - não prejuízo proporcionado por reclamatórias trabalhistas – é aqui utilizado, pois em uma análise mais profunda do assunto, há grande diferença nos conceitos.

Como está a situação da gestão das empresas paulistas

São Paulo hospeda hoje a maioria das empresas exemplares do país, segundo o IPEG – Instituto Paulista de Excelência na Gestão – por causa do nível de desenvolvimento da economia do Estado. Porém, ainda há muito o que fazer para melhorar a competitividade das organizações paulistas, tanto pelo lado das empresas quanto pelo lado do governo. As PMEs estão em situação mais preocupante, pois elas compõem a cadeia de fornecimento das grandes, geram a maioria dos empregos, mas, no entanto, mantêm poucos investimentos em melhoria da gestão.

Assinar este feed RSS