Desemprego e inflação exigem corte mais rápido da Selic, afirma Fiesp

Mais uma vez o Banco Central cortou em apenas 1 ponto percentual a taxa básica de juros, a Selic, que foi para 8,25%. Com previsão de inflação de 3,31% no fim deste ano, sem dúvida há espaço para cortes mais incisivos da Selic.

A retomada da economia começa a se desenhar, mas ainda de maneira muito lenta. O Brasil tem pressa; os 13 milhões de brasileiros desempregados não podem esperar mais. Está na queda mais rápida da Selic a chave para acelerar o crescimento e a retomada do emprego.

(Redação - Agência IN)

Nível de emprego na indústria paulista recua 0,14% em fevereiro, mostra Fiesp

O nível de emprego da indústria paulista apresentou queda de 0,14% em fevereiro, com fechamento de 3 mil postos de trabalhos no mês, sem ajuste sazonal. Com ajuste, o recuo apurado chega a 0,40%. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), divulgada nesta quinta-feira (16/3).

Indicador de Nível de Atividade da indústria recua 0,7% em janeiro, aponta Fiesp

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria registrou queda de 0,7% em janeiro, na série livre de influências sazonais, após apresentar um avanço de 3,6% em dezembro. No acumulado em 12 meses até janeiro, o indicador recuou 8,3%. Os resultados foram divulgados nesta segunda-feira, 6, pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp). O INA acompanha o total de vendas reais, as horas trabalhadas na produção e a utilização da capacidade instalada (NUCI) da indústria de transformação paulista.

Há espaço para recuo maior da Selic, afirma Skaf

Nesta quarta-feira (22/2), o Banco Central definiu o novo valor da Selic em 12,25% ao ano, queda de 0,75 ponto percentual.

“Ainda não é o bastante, pois existe espaço para recuos maiores da Selic”, afirma Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp.

 

Indústria paulista gera 6,5 mil postos de trabalho em janeiro, mostra Fiesp

Depois de perder 518 mil postos de trabalho nos últimos três anos, a indústria paulista registrou saldo positivo de 6.500 vagas em janeiro, variação positiva de 0,31% na comparação com dezembro de 2016, sem ajuste sazonal. Na comparação com o mês anterior, com ajuste sazonal, o valor foi -0,24%. O resultado positivo do mês é o primeiro registrado desde abril de 2015, quando foram feitas 6.000 contratações. Já na análise de janeiro deste ano contra o mesmo mês do ano anterior, a variação ficou negativa em 5,73%, com demissão de 132 mil trabalhadores. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), divulgada nesta quinta-feira (16/2).

Indicador de Nível de Atividade da Indústria recua 8,9% em 2016

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista caiu 8,9% em 2016, registrando a terceira queda anual consecutiva, resultado inédito para a série histórica. Em 2015 e 2014, o recuo foi de 6,2% e 6%, respectivamente, sem ajuste sazonal. Os resultados foram divulgados nesta terça-feira (31/1), pela Fiesp e pelo Ciesp. Com o dado negativo de 2016, o INA acumulou queda de 19,7% entre 2014 e o ano passado. “Essas quedas consecutivas foram uma surpresa para mim. Vimos uma trajetória ruim para a indústria de transformação”, destaca Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon).

Assinar este feed RSS