Furnas registra lucro de mais de R$ 1 bilhão em 2018

FURNAS registrou lucro líquido de R$ 1,071 bilhão em 2018. O resultado foi influenciado pela receita da Rede Básica de Sistemas Existentes (RBSE) - indenização pelos ativos de transmissão de energia cujas concessões foram renovadas - e pela implantação de ações estratégicas que garantiram uma melhora no fluxo de caixa. A diminuição do endividamento da empresa em R$ 1,5 bilhão e sua tendência de queda nos próximos anos também é um ponto positivo, pois propicia mais margem para investimentos. Veja os destaques no final desta página.

Aneel anuncia que conta de luz manterá bandeira tarifária verde em março

A bandeira tarifária em março de 2019 será verde, sem custo para os consumidores. Apesar do período úmido de 2019 ter tido pouca ocorrência de chuvas em janeiro, o nível de produção da energia hidrelétrica no país ainda se mantém elevado, contribuindo para um nível do risco hidrológico (GSF) em patamar que garante a manutenção da bandeira verde, mesmo com PLDs elevados nas regiões sudeste, centro-oeste e sul. O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada.

 

Para setembro será acionada bandeira tarifária vermelha patamar 2

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (31) que a bandeira tarifária acionada para o mês de setembro é vermelha (patamar 2) com custo de R$ 5 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A bandeira continua nesse patamar em razão das condições hidrológicas ainda desfavoráveis e pela redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN).

Bandeira tarifária segue vermelha patamar 2 em agosto

A bandeira tarifária para o mês de agosto será vermelha (patamar 2) com custo de R$ 5 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A manutenção da cor da bandeira deve-se ao prosseguimento das condições hidrológicas desfavoráveis e à redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN). Como consequência houve a manutenção do preço da energia elétrica no mercado de curto prazo (PLD) no valor máximo estabelecido pela ANEEL, de R$ 505,18/MWh, e aumento do risco hidrológico (GSF). O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada.

ENERGIA: PLD médio de 2018 sobe para R$ 282/MWh

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apresentou na segunda-feira (28/5), análise do comportamento do Preço de Liquidação das Diferenças – PLD de maio e início de junho. O preço médio para 2018 foi revisto de R$ 195/MWh para R$ 282/MWh no Sudeste/Centro-Oeste, principal submercado do Sistema, valor que pode chegar a R$ 470/MWh ao final de julho, quando a tendência é de nova redução.

Produção de energia elétrica a partir do biogás cresce 14% em 2017

A produção de energia elétrica no Brasil a partir do biogás, em 2017, foi 14% superior à geração comparada ao mesmo período do ano anterior. As 35 usinas que aproveitam rejeitos urbanos, da pecuária e da agroindústria somaram 135,279 megawatts (MW) médios entregues ao longo do ano passado frente aos 118,6 MW médios gerados no mesmo período de 2016, segundo os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Assinar este feed RSS