Empreendedorismo pode ser opção vantajosa mas requer cuidados

A crise econômica brasileira vem impulsionando a busca por novos meios de subsistência e, dentre eles, está a abertura de um negócio próprio. Muitas pessoas são demitidas dos seus empregos, e veem, seja diante da facilidade de atuação em uma área específica, ou mesmo a atuação direta com o público, uma oportunidade de recomeçar e achar outro caminho possível.

Belas Artes abre curso livre "Economia Criativa, Empreendedorismo e Cidades"

Para os interessados no universo de economia criativa, empreendedorismo e inovação, o Centro Universitário Belas Artes de São Paulo oferece o curso livre para este setor. Ana Carla Fonseca Reis, referência internacional em economia criativa, cidades e negócios, é a responsável pelas aulas. Administradora Pública (FGV), Economista, Mestre em Administração e Doutora em Urbanismo (USP), Ana Carla liderou projetos multinacionais por 15 anosna América Latina, Londres e Milão. Atualmente, é diretora da Garimpo de Soluções, consultora e conferencista em cinco línguas e 28 países, além de assessora especial para a ONU.

Modelo de negócio home-based atrai classe C por comodidade e baixo investimento

Ser o seu próprio chefe, ter horários flexíveis e ainda trabalhar dentro da sua própria casa. O que parecia ser um sonho distante está se tornando cada vez mais a realidade de muitos brasileiros. E engana-se quem pensa que esses privilégios são exclusivos para profissionais com renda alta. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Data Popular, 19,7 milhões de brasileiros interessados em iniciar uma empresa este ano, 58,3% (cerca de 11,5 milhões) são da classe C. O desejo te ter um negócio próprio se tornou ainda mais acessível graças a um modelo de negócio que é tendência: as franquias home based. Ideal para quem não tem capital suficiente para um negócio maior e que pretende trabalhar sozinho, é possível adquirir uma franquia neste modelo por menos de R$ 20 mil. O franqueado poupa despesas com custos fixos como salário de funcionários, aluguel e contas diversas, e ainda consegue ter mais flexibilidade de horários.

Empreendedorismo no e-commerce muda mercado de trabalho no Brasil

No dia 10 de abril acontece em São Paulo o VTEX Day - encontro que reúne os principais profissionais do e-commerce para discutir tendências e práticas do mercado. Um dos temas abordados é o empreendedorismo digital, segmento que cresce exponencialmente a cada ano e abre portas para brasileiros tornarem-se empresários - na maioria das vezes com baixíssimo investimento inicial. Uma pesquisa realizada pela Loja Integrada, plataforma de e-commerce que hospeda 150 mil lojas, apurou que mais de 60% dos lojistas investiram até mil Reais no novo negócio.

 

Negros são maioria entre empreendedores

Os negros já são a maioria entre os empreendedores brasileiros. Entre os anos de 2002 e 2012, o número de pessoas negras a frente de empresas no Brasil cresceu 27%. Nesse mesmo período, o número de pessoas brancas que possuem uma empresa teve uma redução de 2%. De acordo com levantamento feito pelo Sebrae, com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), 50% dos donos de negócio são afrodescendentes, 49% são  brancos e 1% pertencem a outros grupos populacionais.

Empreendedorismo atrai três em cada dez brasileiros

A taxa total de empreendedorismo no Brasil atingiu, em 2014, o seu maior índice de todos os tempos.  De acordo com a nova pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada no Brasil pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), três em cada dez brasileiros adultos entre 18 e 64 anos possuem uma empresa ou estão envolvidos com a criação de um negócio próprio. Em dez anos, essa taxa de empreendedorismo saltou de 23%, em 2004, para 34,5%. Metade da taxa corresponde aos empreendedores novos – com menos de três anos e meio de atividade – e a outra metade, aos donos de negócios já estabelecidos há mais tempo.

Empreendedorismo de batom e salto alto

O Dia Internacional da Mulher deste ano dedica-se ao tema "Fazer acontecer". Faz sentido. O empreendedorismo – até há pouco identificado como uma qualidade masculina – subiu no salto, passou batom e conquistou uma parcela de jovens mulheres, mundo afora. Em comum, elas trazem a marca da autoconfiança.

Assinar este feed RSS