Taxa de desemprego na Alemanha fica estável em dezembro

A taxa de desemprego na Alemanha ficou estável em dezembro deste ano, marcando 5,5%, segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 03, pela Agência Federal de Empregos do país. O resultado veio abaixo das expectativas do mercado (5,6%). Vale lembrar que em novembro, o indicador marcou 5,5%.

(Michele Rios – Investimentos e Notícias)

Taxa de desemprego no Reino Unido registra 4,3% em outubro

A taxa de desemprego do Reino Unido ficou em 4,3% nos três meses encerrados em outubro de 2017, ante taxa de 4,3%, segundo informações divulgadas nesta quarta-feira, 13, pela Agência de Estatísticas do país, National Statistics. Analistas previam uma queda do indicador (4,2%).

(Redação – Investimentos e Notícias)

Taxa de desemprego fica estável nos EUA

A taxa de desemprego nos Estados Unidos ficou em 4,1% em novembro, informou o departamento do Trabalho. O número ficou em linha com os 4,1% de outubro e do esperado por analistas (4,1%).

(MR – Investimentos e Notícias)

Taxa de desemprego na Alemanha fica estável em novembro

A taxa de desemprego na Alemanha ficou estável em novembro deste ano, marcando 5,6%, segundo dados divulgados hoje pela Agência Federal de Empregos do país. O resultado veio em linha com as expectativas do mercado (5,6%).

(Michele Rios – Investimentos e Notícias)

Taxa de desemprego fica em 12,2% no trimestre

A taxa de desocupação (12,2%) no trimestre móvel de agosto a outubro de 2017 recuou 0,6 ponto percentual em relação ao trimestre de maio a julho de 2017 (12,8%), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o mesmo trimestre de 2016 (11,8%), houve aumento de 0,4 ponto percentual.

Taxa de desemprego cai 0,6 p.p. no 3º trimestre

No 3º trimestre de 2017, a taxa composta da subutilização da força de trabalho (que agrega os desocupados, os subocupados por insuficiência de horas e os que fazem parte da força de trabalho potencial) ficou em 23,9%, o que representa 26,8 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No 2º trimestre de 2017, para Brasil, essa taxa foi de 23,8% e, no 3º trimestre de 2016, 21,2%. As maiores taxas por Unidade da Federação foram observadas na Bahia (40,1%), Piauí (38,5%), e Maranhão (37,0%) e as menores em Santa Catarina (10,9%), Mato Grosso (14,8%) e Rondônia (15,5%).

Assinar este feed RSS