Custo de vida em São Paulo cai 0,21% de maio para junho

O Índice do Custo de Vida do município de São Paulo, calculado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), registrou queda de 0,21% de maio para junho. No primeiro semestre, a alta foi de 1,63%. A variação anual, de julho de 2018 a junho de 2019, foi 2,96%.

Custo de Vida do Dieese tem alta de 1,64% em abril

De março a abril de 2019, a inflação no município de São Paulo, segundo o Índice do Custo de Vida, calculado pelo DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), foi de 0,32%. No primeiro quadrimestre, a variação foi de 1,64%e em 12 meses, de maio de 2018 a abril de 2019, foi de 4,47%.

Alimentos e bebidas influenciam custo de vida em SP

Após encerrar 2018 em alta (3,34%), o custo de vida na região metropolitana de São Paulo voltou a subir em janeiro, 0,18%. No acumulado dos últimos 12 meses, também houve acréscimo de 3,48%. Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).
Entre as nove categorias que compõem o indicador, três sofreram variações negativas em janeiro: vestuário (-0,79%), transporte (-0,35%) e comunicação (-0,10%). Por outro lado, o segmento de alimentos e bebidas foi o principal responsável pela aceleração do custo de vida no primeiro mês do ano, com alta de 0,95%. No dado acumulado dos últimos 12 meses, o segmento apresentou acréscimo de 5,39%, o segundo maior entre todos os demais grupos, perdendo apenas para educação (5,64%).

  • Publicado em Economia

Custo de vida em SP fecha 2018 em alta

Após queda em novembro (-0,36%), o custo de vida na região metropolitana de São Paulo subiu 0,20% em dezembro. Com esse resultado, o indicador encerrou o ano com alta de 3,34%. Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

  • Publicado em Economia

Custo de vida sobe 3,89% em 2018, aponta Dieese

O Índice do Custo de Vida –ICV calculado pelo DIEESE –Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos –registrou variação acumulada de 3,89% em 2018, 1,45 ponto percentual (p.p.) superior à de 2017, que foi 2,44%. As taxas por estrato de renda apresentaram o seguinte comportamento: para as famílias pertencentes ao estrato 1, que possuem as rendas mais baixas, foi verificada taxa de 3,87%; para as do estrato 2, a variação foi de 3,79%; e, para as do estrato 3, a taxa ficou em 3,91%.

 

  • Publicado em Economia

Custo de vida na RMSP sofre queda de 0,36% em novembro

pós duas altas consecutivas, o custo de vida na região metropolitana de São Paulo caiu 0,36% em novembro, a maior queda de 2018. Contudo, no acumulado do ano, o indicador registrou variação positiva de 3,14%, e nos últimos 12 meses, a elevação foi de 3,91%. Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

Custo de vida em SP tem alta em outubro

O custo de vida na região metropolitana de São Paulo subiu 0,42% em outubro. No acumulado do ano, o indicador registrou variação positiva de 3,51%, e nos últimos 12 meses, a elevação foi de 4,79%. Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).

  • Publicado em Economia

Custo de vida em São Paulo cresce 0,59% em setembro

O custo de vida na região metropolitana de São Paulo subiu 0,59% em setembro. No acumulado do ano, o indicador registrou variação positiva de 3,08%, e nos últimos 12 meses, a elevação foi de 4,84%. Os dados são da pesquisa Custo de Vida por Classe Social (CVCS), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). No mesmo período do ano anterior, verificava-se elevações de 2,09% em 2017 e de 3,25% nos últimos 12 meses findos em setembro de 2017.

  • Publicado em Economia
Assinar este feed RSS