Copom deixa espaço para queda adicional, avalia SPC Brasil

O Banco central decidiu por um novo corte de 0,25 ponto percentual na taxa Selic, o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) e demonstrou que ainda não encerrou o o ciclo de queda da taxa de juros iniciada em outubro de 2016, após 11 recuos consecutivos. A decisão tomada nesta quarta-feira (21/03) faz com que a taxa básica de juros da economia brasileira diminua de 6,75% para 6,50% ao ano, atingindo uma nova mínima histórica. Na avaliação do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o novo recuo e as possíveis quedas adicionais trazem ainda mais estímulo à economia, que vem se recuperando de forma lenta.

FIRJAN considera acertada a decisão de queda da taxa de juros

O Sistema FIRJAN considera que a decisão do Copom foi mais uma vez acertada. O cenário atual é amplamente favorável à redução da taxa de juros brasileira. Por um lado, a inflação atual e a projetada para 2018 e 2019 estão abaixo do centro da meta perseguida pelo Banco Central. Além disso, as expectativas de mercado estão em queda há sete semanas consecutivas. Por outro lado, apesar do recente movimento de recuperação da atividade econômica, o crescimento do país também continua baixo.

ANBIMA projeta Selic em 6,5% até o fim deste ano

O Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) projeta corte de 0,25 ponto percentual na Selic para a reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) que termina amanhã, dia 21. Com a redução de 6,75% para 6,5%, o grupo espera que a taxa de juros permaneça nesse patamar até o fim de 2018.

 

Ata do Copom mostra que atividade econômica se recupera

A Ata do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), divulgada nesta quinta-feira, 15, mostra que os membros do Comitê concordaram que a recuperação da economia apresenta maior consistência e entendem que, à medida que a atividade econômica se recupera, a inflação tende a voltar para a meta. 

  • Publicado em Economia
Assinar este feed RSS