Índice Nacional da Construção Civil varia 0,27% em janeiro

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo IBGE, apresentou variação de 0,27% em janeiro, ficando 0,09 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de dezembro de 2017. O acumulado nos últimos doze meses ficou em 3,71%, resultado pouco abaixo dos 3,82% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2016 o índice foi 0,38%.

Vendas do varejo de material de construção crescem em janeiro

O varejo de material de construção teve desempenho 3% positivo em janeiro, na comparação com o mesmo mês de 2017. Já com relação a dezembro, o setor registrou queda de 9%. Os dados são da Pesquisa Tracking mensal da Anamaco, que entrevistou 530 lojistas entre os dias 25 a 30 de janeiro.

  • Publicado em Economia

Setor de construção paulista volta apresentar queda

Após atingir 41,6 pontos em novembro de 2017, o nível de atividade do setor de construção paulista voltou a apresentar queda, registrando 40,3 pontos no último mês do ano. Na comparação interanual, contudo, houve avanço: em dezembro de 2016, o indicador registrou 32,3 pontos.

  • Publicado em Economia

Indústria da construção começa 2018 mais otimista

A indústria da construção fechou 2017 com redução da atividade e do emprego. Mas as quedas foram inferiores às registradas em dezembro dos anos anteriores. O índice de nível de atividade ficou em 44,9 pontos e o de número de empregados foi de 43 pontos em dezembro do ano passado. No mesmo mês de 2016, o indicador do nível de atividade foi de 37,9 pontos e o de emprego de 36 pontos, informa a Sondagem Indústria da Construção, divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta sexta-feira (26). Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem pontos. Quando estão abaixo de 50 pontos mostram queda da produção e do emprego em relação ao mês anterior. 

  • Publicado em Economia

Preços de materiais de construção fecham ano com menor variação desde 2011

Com a queda de 0,12% registrada em dezembro, o nível geral de preços de materiais de construção no Estado de São Paulo acumulou uma alta em 2017 de 1,43%. Isso representou um recuo significativo em relação ao ano anterior, período no qual ocorreu uma elevação de 2,80%. “Esta é a variação mais amena para o período anual desde 2011, quando a inflação do setor em território paulista alcançou 1,23%”, comenta o economista Jaime Vasconcelos, do Departamento de Economia e Pesquisas do Sincomavi.

Varejo de materiais de construção volta a perder empregos

O varejo de materiais de construção da Região Metropolitana de São Paulo apresentou, depois de três meses seguidos com alta, retração de vagas com carteira assinada. Em novembro, 564 foram perdidas no segmento. No mês anterior, outubro, o resultado havia sido positivo com a abertura de 237 postos.

Assinar este feed RSS