Shoppings crescem 6,5% nas vendas de 2018, aponta Abrasce

  •  
Após superar expectativa, a entidade prevê uma alta ainda maior para 2019, chegando a 7% Foto: Divulgação Após superar expectativa, a entidade prevê uma alta ainda maior para 2019, chegando a 7%

A Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) lança nesta terça-feira (29) o Censo 2018 que apresenta o desempenho dos shoppings brasileiros no último ano. O setor que fechou 2018 com alta de 6,5% nas vendas prevê crescimento de 7% nesse ano.

 

"O ano de 2018 foi de otimismo e definitivamente marcou a retomada do varejo. O setor faturou R$ 178,7 bilhões e inaugurou 14 empreendimentos em todo o Brasil, o que demonstra o crescimento constante e significativo do setor. Para 2019 acreditamos em manter o ritmo de crescimento do setor", afirma Glauco Humai, presidente da Abrasce.

Ainda segundo Humai, a gradual recuperação econômica, a expansão dos shoppings e a retomada de confiança dos consumidores foram essenciais para essa crescente que consequentemente impulsionou o índice de geração de empregos nos shopping centers que fechou com alta significava de 5,4%, em relação ao último ano, sendo 1.085.040 de empregos gerados pelo setor.

O setor de shoppings evoluiu e, acompanhando as novas tendências e hábitos do consumidor, passou a ofertar um mix que equilibra consumo, lazer, entretenimento e serviços. "Os empreendimentos brasileiros vão além de centro de compras, são também centros de convivência e conveniência", complementa Glauco. Pelo novo modelo de negócio dos shoppings estar alinhado à necessidade do consumidor, o fluxo mensal de visitantes cresceu 5,8%, comparado ao ano anterior, saltando para 490 milhões de visitantes por mês.

O histórico do setor acompanha uma tendência de crescimento dos empreendimentos em cidades do interior, que já contam com 55% dos shoppings, contra 45% que estão presentes nas capitais. A interiorização apresenta crescimento de um ponto percentual em relação à 2017, o que sinaliza o crescente interesse pela exploração de cidades médias como mercados de maior potencial.

No Brasil, são 222 cidades que possuem shopping centers em suas dependências com média de 2,7 de shoppings por cidade e para 2019, já foram anunciados 15 novos empreendimentos em todo país, sendo 6 no sudeste, 4 no nordeste, 3 no sul, 1 no norte, e 1 no centro-oeste.

TENDÊNCIAS

Com crescimento expressivo nos últimos anos, os shopping centers brasileiros estão cada vez mais engajados com assuntos relacionados à mobilidade urbana. Atualmente, 85% dos shoppings possuem vagas para bicicletas e 11% para carros elétricos. Outra tendência que cresce no setor é a prática de pet friendly já encontrada em 91% dos shoppings do país.

NÚMERO DE SHOPPINGS

São considerados shopping centers pela Abrasce os empreendimentos com Área Bruta Locável (ABL) superior a 5 mil m², formados por diversas unidades comerciais com administração única e centralizada, que praticam aluguel fixo e percentual. Em 2018, o setor fechou com alta na ABL de 4,8%, sendo 16.322.252m² entre 563 shoppings do país.

NÚMERO DE LOJAS

O número de lojas aumentou 2,6% comparado ao ano anterior, saltando de 102.300 para 104.928 lojas, sendo em média 179 lojas por shopping.

PERFIL DOS FREQUENTADORES

As classes AB predominam com mais de 50% no índice de frequentadores dos shoppings em todas as regiões do Brasil. Sendo representados por 62% no centro-oeste, 53% no nordeste, 53% no norte, 66% no sudeste e 63% no sul.

COMPLEXO MULTIUSO

Além de uma boa localidade, os shopping centers estão se tornando grandes complexos integrados para atender as necessidades dos visitantes que procuram "resolver a vida" em um único lugar. Entre os empreendimentos interligados aos shoppings estão: condomínio empresarial (63%), hotel (36%), centro médico e/ou ambulatório (29%), condomínio residencial (18%), faculdades/universidades (27%) e outros (34%).

ALIMENTAÇÃO

As tradicionais praças de alimentação dos shopping centers vêm ganhando novos espaços pelo mall ou boulevard gastronômico. Atualmente, esse modelo de negócio ganha força e já está presente em 27% dos empreendimentos.

(Redação - Investimentos e Notícias)