Santander Brasil anuncia lucro de R$ 9.953 mi em 2017

  •  
Santander Brasil anuncia lucro de R$ 9.953 mi em 2017 (Foto: Divulgação) Santander Brasil anuncia lucro de R$ 9.953 mi em 2017

O lucro líquido gerencial do Banco Santander Brasil somou R$ 9.953 milhões em 2017, atingindo o maior patamar histórico, com crescimento de 35,6% em doze meses e aumento de 6,4% em três meses, impulsionado por uma melhor dinâmica comercial evidenciando assim um crescimento sustentável e recorrente.

As receitas totais totalizaram R$ 52.938 milhões em 2017, com incremento de 18,3% em doze meses (ou R$ 8.179 milhões), destacando-se a boa performance da margem financeira por volumes e spreads e das comissões. Em três meses, essas receitas permaneceram estáveis.

A margem financeira alcançou R$37.327 milhões em 2017, aumento de 18,5% em doze meses, com dinâmica positiva em todos os negócios. Em três meses, a margem financeira reduziu 3,7%, impactada pelos menores ganhos de atividade com o mercado. Vale destacar que no mesmo período a margem com clientes apresentou crescimento em função de maiores volumes e spreads.

As comissões totalizaram R$15.611 milhões, crescimento de 17,7% em doze meses e aumento de 9,5% em três meses, impulsionadas pela maior vinculação e transacionalidade de nossos clientes. Destacando-se as receitas de cartões de crédito, serviços de conta corrente e comissões de seguros.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE), ajustado pelo ágio, atingiu 16,9% em 2017, aumento de 3,6 p.p. em doze meses, alavancado por um forte crescimento das nossas receitas. No trimestre, o ROE atingiu 18,3%.

As despesas gerais totalizaram R$ 19.167 milhões em 2017, aumento de 7,0% em doze meses e crescimento de 7,8% em três meses, em função das maiores despesas variáveis e remuneração, que acompanham a dinâmica de maior atividade comercial. O índice de eficiência no ano alcançou 44,1%, atingindo o menor patamar nos últimos 5 anos, suportado por um contínuo foco em produtividade.

A carteira de crédito total alcançou R$ 272.562 milhões em 2017, aumento de 6,1% em doze meses (ou alta de 5,9% desconsiderando o efeito da variação cambial). Nossa estratégia vem nos permitindo crescer acima do mercado, o que representa uma sólida performance frente ao ambiente econômico desafiador. Em três meses, a carteira cresceu 3,6% (ou aumento de 3,2% desconsiderando o efeito da variação cambial). Dentre os segmentos destaque na performance de pessoa física e de financiamento ao consumo.

O crédito à pessoa física somou R$108.115 milhões no final de dezembro de 2017, aumento de 18,3% em doze meses e crescimento de 5,7% em três meses, impulsionado por cartão de crédito, consignado e crédito rural.

A carteira de financiamento ao consumo atingiu R$ 41.884 milhões ao final de dezembro de 2017, crescimento de 20,4% em doze meses e alta de 6,9% em três meses, com desempenho superior ao mercado.

A carteira de crédito de pequenas e médias empresas somou R$ 34.288 milhões em dezembro de 2017, aumento de 4,5% em doze meses e crescimento de 4,1% em três meses (ou alta de 4,4% em doze meses e aumento de 3,8% em três meses desconsiderando a variação cambial).

A carteira de crédito de grandes empresas atingiu R$ 88.275 milhões, queda de 9,8% em doze meses e redução de 0,3% em três meses (ou queda de 10,2% em doze meses e redução de 1,6% em três meses desconsiderando o efeito da variação cambial). A carteira de crédito ampliada totalizou R$ 347.907 milhões, crescimento de 7,8% em doze meses e aumento de 3,4% em três meses.

O patrimônio líquido excluindo R$ 631 milhões referentes ao saldo de ágio, o patrimônio líquido somou R$ 58.869 milhões no final de dezembro de 2017, alta de 5,9% em doze meses e redução de 4,4% em três meses.

(Redação – Investimentos e Notícias)