Saldo das operações de crédito atingiu R$3.062 bi em julho

Saldo das operações de crédito atingiu R$3.062 bi em julho (Foto: Divulgação) Saldo das operações de crédito atingiu R$3.062 bi em julho

O saldo das operações de crédito do sistema financeiro atingiu R$3.062 bilhões em julho, após reduções de 0,6% no mês e 1,7% em doze meses (ante variações respectivas de +0,4% e -1,6% em junho), segundo dados do Banco Central (BC). A carteira das empresas, saldo de R$1.463 bilhões, reduziu-se em 1,4% no mês, enquanto o crédito a pessoas físicas cresceu 0,2%, alcançando R$1.598 bilhões. A relação crédito/PIB declinou 0,4 p.p., situando-se em 47,8% (50,7% em julho de 2016).

O crédito com recursos livres totalizou R$1.521 bilhões (-0,7% no mês e -2,1% em doze meses). O saldo dos empréstimos a pessoas físicas manteve crescimento na ordem de 0,5% no mês, para R$822 bilhões, destacando-se o crédito consignado e o cartão à vista. A carteira com o segmento corporativo totalizou R$699 bilhões (-2,1% no mês), sobressaindo as reduções em desconto de duplicatas e recebíveis e capital de giro.

O crédito direcionado somou R$1.541 bilhões (-0,4% no mês e -1,3% em doze meses). Os financiamentos a famílias registraram redução de 0,1% no mês, para R$776 bilhões, com a queda de 2,8% no rural contrapondo ao crescimento de 0,7% no imobiliário. No segmento corporativo, redução de 0,6% no saldo, para R$765 bilhões, refletindo a contração das operações com recursos do BNDES.

Considerados os segmentos de atividade econômica dos tomadores de crédito, as principais retrações ocorreram no comércio (-3,1%, R$248 bilhões), na indústria de transformação (-0,9%, R$381 bilhões) e na indústria de construção (-1,8%, R$92 bilhões). Regionalmente, incluídas as operações acima de R$1 mil, apenas a carteira do Nordeste permaneceu estável (R$398 bilhões), ocorrendo retração no saldo de crédito das demais regiões, principalmente Sul (-0,8%, R$547 bilhões) e Sudeste (-0,4%, R$1.615 bilhões).

(Redação - Agência IN)