Saldo das operações de crédito atingiu R$3.048 bilhões

Saldo das operações de crédito atingiu R$3.048 bilhões (Foto: Divulgação) Saldo das operações de crédito atingiu R$3.048 bilhões

O saldo total das operações de crédito do sistema financeiro atingiu R$3.048 bilhões em setembro, registrando estabilidade no mês e recuo de 2,0% em doze meses, segundo dados do Banco Central (BC). O crédito a pessoas físicas totalizou R$1.616 bilhões (+0,2% no mês e +4,7% em doze meses). A carteira de pessoas jurídicas somou R$1.432 bilhões, com retrações de 0,4% e 8,7% nos mesmos períodos. A relação crédito/PIB situou-se em 47,0% (50,2% em setembro de 2016).

O saldo com recursos livres alcançou R$1.530 bilhões (+0,2% no mês e -1,1% em 12 meses). No mês, destacou-se a expansão do crédito às empresas, que somou R$702 bilhões (+0,5%), favorecida pelo aumento sazonal dos descontos de duplicatas e recebíveis. Em capital de giro, apesar de estabilidade nas concessões do mês, prevaleceu a redução de saldos determinada pelas liquidações de operações. Na carteira de pessoas físicas, saldo de R$828 bilhões (-0,1% no mês), as reduções em cheque especial e cartão à vista compensaram as expansões em crédito consignado e financiamento de veículos.

Os financiamentos com recursos direcionados atingiram saldo de R$1.518 bilhões (-0,3% no mês e -2,9% em doze meses), com redução no segmento de pessoas jurídicas (-1,2% no mês, saldo de R$730 bilhões), notadamente nos financiamentos para investimentos com recursos do BNDES. As operações com pessoas físicas totalizaram R$788 bilhões (+0,6% no mês), com destaque para o crédito rural, com o aumento da demanda para o custeio da safra de grãos.

Na segmentação segundo os setores de atividade econômica, os créditos destinados à indústria - saldo de R$690 bilhões - diminuíram 1,3% no mês (-1,9% no ramo de transformação), enquanto os empréstimos ao setor de serviços aumentaram 0,6%, somando R$690 bilhões, com recuperação das contratações do segmento de comércio (+1,2%). Regionalmente, consideradas as operações acima de R$1 mil, destacaram-se os aumentos no Norte (+0,6% no mês, R$117 bilhões) e no Sudeste (+0,1%, R$1.607 bilhões) e a redução no Nordeste (-0,4%, R$398 bilhões).

(Redação – Agência IN)