Ribeirão Preto, Franca e São José do Rio Preto disputam a liderança nos preços da gasolina

  •  
Ribeirão Preto, Franca e São José do Rio Preto disputam a liderança nos preços da gasolina Foto: Divulgação Ribeirão Preto, Franca e São José do Rio Preto disputam a liderança nos preços da gasolina

A mudança na forma como a Petrobras realiza ajustes no preço da gasolina e do diesel vendidos nas refinarias para os distribuidores, tornou o reajustes de preços dos combustíveis veiculares mais frequentes. Somente em setembro deste ano, os preços praticados pela empresa sofreram dezenove reajustes, como mostra levantamento do Ceper/Fundace.

Conforme dados do Boletim Sucroalcooleiro de outubro de 2017, no início do ano, a Petrobras reduziu o preço da gasolina e do diesel, o que levou à queda dos preços praticados pelos postos de gasolina, permitindo, ainda, o aumento nas margens de revenda no período.

No entanto, o segundo semestre do ano teve início com aumento dos preços. O preço do petróleo no mercado mundial aumentou 5,7% no mês de setembro em relação a agosto, quando o preço médio foi US$50,09. Apesar deste aumento, o preço mundial ainda se mantém aquém daquele exibido em janeiro e em níveis inferiores aos registrados ao longo de 2013 e 2014, quanto oscilava ao redor de US$110,00.

O preço dos três principais combustíveis comercializados no Brasil vem apresentando aumento nos últimos meses. Julho foi o período em que o etanol hidratado e o óleo diesel registraram os valores mais baixos do ano, enquanto a gasolina atingiu o seu valor mais baixo do ano em junho de 2017.

“Nota-se queda do preço dos combustíveis ao longo do primeiro semestre, mas a recuperação dos preços da gasolina e do óleo diesel já é aparente, com preços superiores ao verificados no início de 2017. O preço da gasolina acabou puxando para cima o preço do etanol”, avalia Luciano Nakabashi, pesquisador do Ceper e coordenador do levantamento.

Dentre os municípios analisados pelo Ceper e tomando por base valores de setembro, São Paulo apresentou o menor valor médio para a gasolina: R$ 3,59 o litro. São José do Rio Preto, por sua vez, vendeu o combustível pelo maior preço – R$ 3,92 –, seguido de Franca, onde a gasolina custou, em média, R$ 3,88. Juntamente com estes dois últimos municípios, Ribeirão Preto disputa a liderança pelos preços da gasolina

Todos os municípios analisados apresentam aumentos no preço da gasolina desde julho, tal como a média observada para o País. “Isto mostra que apesar da diferença de preços, a dinâmica das variações é semelhante em todos”, compara o pesquisador.

Em relação ao etanol, Ribeirão Preto foi o município que apresentou o menor preço, de R$ 2,21 o litro, enquanto Franca apresentou o maior preço, com o etanol sendo vendido a R$ 2,68.

Já para o óleo diesel, o maior preço dentre os municípios analisados foi verificado em Campinas – R$ 3,17 –, enquanto o menor preço foi registrado em Ribeirão Preto: R$ 3,01.

Se compararmos a razão de preços entre etanol e gasolina, no início deste ano (janeiro e fevereiro), em todos os municípios analisados pelo Ceper a gasolina era o combustível mais vantajoso. Se a razão de preços entre etanol e gasolina é superior a 70%, o consumo da gasolina é economicamente recomendável e, se inferior a 70%, o etanol passa a apresentar o melhor custo benefício.

A partir de julho, o quadro se reverte e o etanol volta a ser a melhor opção. Em setembro, Franca foi o município que mais se aproximou do limiar, alcançando 69,03%, mesmo assim, mantendo-se o etanol como melhor opção em termos de custo-benefício.

Ao analisarmos a margem média de revenda do combustíveis – diferença entre o valor de venda aos consumidores e o valor pago nas distribuidoras – nos meses de julho a setembro, Franca apresentou a maior margem de revenda de etanol (R$0,518) no mês de setembro, enquanto Sertãozinho, a menor (R$0,287).

Já para a gasolina comum, São José do Rio Preto apresentou a maior margem também em setembro (R$0,63), enquanto São Paulo apresentou a menor (R$0,361). Por fim, em relação ao óleo diesel, Araraquara apresentou a maior margem no mesmo mês (R$0,461), enquanto São José do Rio Preto apresentou a menor (R$0,235).

(Redação - Agência IN)