Receita recorrente da TOTVS atinge R$ 416 milhões no 1T19

  •  
Receita recorrente da TOTVS atinge R$ 416 milhões no 1T19 Foto: Divulgação

A TOTVS, líder brasileira no desenvolvimento de software de gestão, anuncia os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2019 com uma Receita Líquida de R$ 563,5 milhões, o que representa um crescimento de 8,6% em relação ao mesmo período de 2018. Também no trimestre, a companhia atingiu uma Receita Recorrente recorde de R$ 416 milhões, com um incremento de 9,9% na comparação ano-a-ano, e um Lucro Líquido de R$ 45,1 milhões.

"O crescimento de quase dois dígitos na Receita Recorrente reflete uma estratégia bem-sucedida de aumento das vendas de software, a partir da diversificação das ofertas para clientes novos e atuais, combinada a uma redução do churn", afirma Dennis Herszkowicz, CEO da TOTVS, que complementa: "Pela primeira vez na história, ultrapassamos a barreira dos R$ 400 milhões em Receitas Recorrentes, ao mesmo tempo em que, graças a uma estratégia focada na eficiência operacional, tivemos um aumento de 26,9% no Lucro Líquido, em relação ao primeiro trimestre de 2018."

No trimestre, a TOTVS atingiu um EBITDA de R$ 104,5 milhões - com crescimento de 7,3% na comparação ano-a-ano e de 33,8% em relação ao trimestre anterior - e uma Taxa de Renovação de clientes de 98,1%.

Outro importante pilar na estratégia de crescimento dos negócios da companhia para este ano é a recém-criada divisão de TECHFIN, por meio da qual a TOTVS passa a fornecer soluções tecnológicas voltadas a simplificar, ampliar e baratear o acesso dos clientes a serviços financeiros e ao crédito. A primeira iniciativa da área foi uma parceria com a REDE para oferecer às pequenas e médias empresas soluções de adquirência e antecipação de recebíveis.

"Como uma empresa de software, enxergamos uma oportunidade de atuar como uma TECHFIN. Ou seja, podemos, a partir de soluções tecnológicas agregar ainda mais valor aos nossos atuais clientes por meio de ofertas que simplifiquem, ampliem e barateiem o acesso a serviços financeiros e ao crédito a empresas dos mais diversos setores como Educação, Saúde, RH e Indústria", destaca Herszkowicz.

(Redação - Investimentos e Notícias)