Receita líquida da Oi atingiu R$ 5.001 mi no 3T19

  •  
Receita líquida da Oi atingiu R$ 5.001 mi no 3T19 (Foto: Divulgação) Receita líquida da Oi atingiu R$ 5.001 mi no 3T19

No terceiro trimestre de 2019 (3T19), a receita líquida consolidada da Oi atingiu R$ 5.001 milhões, queda de 8,8% em relação ao 3T18 e de 1,8% em relação ao trimestre anterior. No trimestre, a receita líquida das operações brasileiras (“Brasil”) totalizou R$ 4.955 milhões (-8,8% em comparação com o 3T18 e -1,8% em relação ao 2T19) e a receita líquida das operações internacionais (África e Timor Leste) foi de R$ 46 milhões, queda de 8,5% em relação ao 3T18 e incremento de 2,3% em relação ao trimestre anterior.

No 3T19, as despesas de pessoal totalizaram R$ 605 milhões, uma redução de 7,6% no comparativo anual e crescimento de 2,6% no sequencial. Esse aumento sequencial deve-se às provisões para pagamentos de remuneração variável relacionadas ao cumprimento de metas operacionais, financeiras e de qualidade do ano de 2019.

No 3T19, o EBITDA consolidado de rotina alcançou R$ 979 milhões, queda de 32,9% em relação ao 3T18 e de 19,6% em relação ao trimestre anterior. O EBITDA de rotina das operações brasileiras atingiu R$ 1.008 milhões no 3T19, registrando queda de 30.7% em relação ao ano anterior e de 16,6% em relação ao 2T19. A margem EBITDA de rotina das operações brasileiras foi de 20,3%, com redução de 6,4p.p em relação a do 3T18 e queda sequencial de 3,6p.p.O EBITDA de rotina das outras operações internacionais (África e Timor Leste) foi negativo em R$ 28 milhões no trimestre, comparado a R$ 6 milhões no 3T18 e R$ 10 milhões no 2T19.

Os investimentos(Capex) consolidados da Companhia, considerando as operações internacionais, totalizaram R$ 2.065 milhões no 3T19, aumento de 35,3% no comparativo anual e em linha com o trimestre anterior. As operações brasileiras totalizaram R$ 2.060 milhões no 3T19, apresentando alta de 37,1% em relação ao 3T18 e em linha com o 2T19.

No 3T19, o fluxo de caixa operacional consolidado de rotina (EBITDA de rotina menos Capex) foi negativo em R$ 1.086 milhões e, nas operações brasileiras, foi negativo em R$ 1.053 milhões, principalmente em função da aceleração dos investimentos no período e das receitas menores, que impactaram o Ebitda.

No 3T19, o resultado operacional da Companhia antes do resultado financeiro e dos tributos (EBIT) foi negativo de R$ 3.352 milhões, comparado ao resultado negativo de R$ 6 milhões no 3T18 e ao resultado também negativo de R$ 446 milhões do 2T19. A Companhia registrou resultado financeiro líquido negativo de R$ -2.135 milhões e uma despesa de R$ 209 milhões em Imposto de Renda e Contribuição Social, resultando em um Prejuízo líquido consolidado de R$ 5.695 milhões. Considerando os efeitos do IFRS 16, o Prejuízo Líquido Consolidado do período foi de R$ 5.784milhões.

Por fim, a dívida bruta consolidada da Oi S.A. registrou um saldo de R$ 17.905 milhões no 3T19, com aumento de 6,1% ou R$ 1.037 milhões em relação ao registrado no 2T19 e de 11,0% ou R$ 1.769 milhões ano contra ano. O aumento tanto no trimestre, quanto no comparativo anual, é resultado do accrual de juros e da amortização do ajuste a valor presente (AVP), que contribuem para o crescimento da dívida a cada período, bem como da desvalorização do Real frente ao Dólar no trimestre e em doze meses, de 8,7% e 4,0%, respectivamente.

(Redação – Investimentos e Notícias)