Receita líquida da Magalu subiu 20,9% no 1T20

  •  
Receita líquida da Magalu subiu 20,9% no 1T20 (Foto:Divulgação) Receita líquida da Magalu subiu 20,9% no 1T20

O Magalu encerrou o 1T20 com 1.157 lojas, sendo 910 convencionais, 195 virtuais, 51 quiosques (parceria com as Lojas Marisa) e o e-commerce. No 1T20, a Companhia inaugurou 46 quiosques e fechou as 2 lojas do projeto piloto com o Carrefour. Nos últimos 12 meses, a Companhia abriu 198 novas lojas (32 na Região Sul, 71 no Sudeste, 29 no Centro Oeste, 17 no Nordeste e 49 no Norte). Da base total, 35% das lojas estão em processo maturação.

As vendas totais do varejo aumentaram 34,0% no 1T20, reflexo do crescimento de 72,6% no e-commerce e 6,7% das lojas físicas.
O faturamento do Cartão Luiza dentro do Magalu cresceu 7,9%, contribuindo para a estratégia da Companhia de aumentar a fidelização dos clientes. Por outro lado, sua participação nas vendas diminuiu de 26% para 21% em função do fechamento temporário das lojas e do aumento da participação no e-commerce nas vendas totais.

No1T20, a receita bruta total cresceu 22,1% para R$6,5 bilhões. O acelerado crescimento do e-commerce,incluindo a Netshoes,e a excelente performance das lojas novas contribuíram para o crescimento da receita bruta no trimestre.O crescimento receita bruta foi alcançado mesmo com o fechamento temporário das lojas físicas no final de março,em função da evolução da pandemia do covid-19 no Brasil. Estimamos que as lojas físicas deixaram de vender cerca de R$500 milhões no período de fechamento, o que impactou o crescimento da receita bruta. Vale destacar o aumento de 37,8% na receita de prestação de serviços no 1T20, especialmente devido ao crescimento de 184,8%nas vendas do Marketplace.

No 1T20, a receita líquida total evoluiu 20,9% para R$ 5,2 bilhões, em linha com a variação da receita bruta total.

No 1T20, o lucro bruto ajustado cresceu 17,3% para R$1,4bilhão, equivalente a uma margem bruta de 27,1%. A variação da margem bruta foi reflexo, principalmente,da maior participação do e-commerce tradicional nas vendas.

No 1T20, o EBITDA ajustado atingiu R$273,9 milhões. O elevado crescimento das vendas do e-commerce, incluindo o marketplace, contribuiu novamente para o EBITDA. Entretanto, a perda de vendas decorrente do fechamento temporário das lojas físicas e o aumento das despesas em relação à receita líquida influenciaram a margem EBITDA ajustada, que passou de 8,9% no 1T19 para 5,2% no 1T20.

No 1T20, a despesa financeira líquida totalizou R$94,4 milhões, equivalente a 1,8% da receita líquida. Em relação à receita líquida, a despesa financeiramelhorou0,5p.p. devido, principalmente, à redução da taxa de juros e à melhor estrutura de capital.Desconsiderando os efeitos dos juros de arrendamento mercantil, o resultado financeiro líquido foi de R$51,2 milhões, equivalente a 1,0% da receita líquida (-0,8 p.p. versus 1T19).

Como fechamento temporário das lojas físicas, a consolidação da Netshoes e os investimentos adicionais em melhoria no nível de serviço, o resultado líquido ajustado foi negativo R$8,0 milhões no 1T20. Considerando as receitas não recorrentes, o lucro líquido do 1T20 foi de R$30,8 milhões.

Por fim, no 1T20, os investimentos somaram R$ 105,4 milhões, incluindo a abertura de lojas, reformas, investimentos em tecnologia e logística.No período, a Companhia inaugurou 46quiosquesda parceria com as Lojas Marisa.

(Redação – Investimentos e Notícias)