Receita líquida da Cielo cai 12,5% no trimestre

  •  
Receita líquida da Cielo cai 12,5% no trimestre (Foto: Pexels) Receita líquida da Cielo cai 12,5% no trimestre

O segundo trimestre de 2020 foi fortemente impactado pelas consequências do isolamento social, que impôs restrições de funcionamento do comércio por todo o país. Diante desse cenário, o volume financeiro capturado pela Cielo atingiu R$ 128,0 bilhões, diminuindo 22,2% quando comparado ao do mesmo período de 2019, e 19,9% frente ao do 1T20.

A penetração de produtos de prazo nos segmentos de varejo e empreendedores atingiu 29,6%.

A base ativa no final de junho totalizou aproximadamente 1,3 milhão de clientes, com uma redução de 7,3% em relação ao 2T19 e de 9,3% frente ao 1T20.

A receita líquida consolidada do trimestre caiu 12,5% quando comparada ao mesmo período de 2019, atingindo o montante de R$ 2.450,1 milhões. Em relação ao 1T20, o impacto foi de 13,5%. O motivo da redução de receita, tanto para a Cielo, quanto para a Cateno, foram as restrições de circulação e funcionamento dos estabelecimentos, impostas pela resposta à pandemia da COVID-19.

Os gastos totais da Cielo Brasil (custos e despesas) totalizaram R$ 1.058,7 milhões, um aumento de R$ 18,2 milhões, ou 1,7%, em relação ao 2T19 e redução de R$ 44,5 milhões, ou 4,0%, em relação ao 1T20. Desconsiderando os efeitos de feed e bandeira, amortização de subsídios concedidos na venda de terminais de captura, o valor relativo aos serviços prestados pelos bancos, e R$ 67,8 milhões relativos aos eventos não recorrentes do 2T20, os gastos totais apresentaram redução de R$ 37,7 milhões, ou 5,4%,na comparação com o mesmo período de 2019, e aumento de R$ 2,6 milhões, ou 0,4% quando comparado ao 1T20.

(Redação – Investimentos e Notícias)