Receita bruta da Linx cresce 20,7%, para R$ 121,4 milhões

  •  
Participação da companhia alcançou 35,5% do mercado brasileiro de software para o varejo em 2014, Foto: Divulgação Participação da companhia alcançou 35,5% do mercado brasileiro de software para o varejo em 2014,

A Linx, empresa líder em tecnologia de gestão para o varejo, encerrou o segundo trimestre de 2015 com receita operacional bruta de R$ 121,4 milhões, um crescimento de 20,7% em relação ao mesmo período do ano passado. A receita operacional líquida foi de R$ 108,8 milhões no 2T15, representando um aumento de 20,9% em relação aos R$ 90,0 milhões do 2T14.

A receita operacional bruta é fruto da combinação da receita recorrente e de serviços, ambas mantendo a tendência de alta. No 2T15, a receita recorrente atingiu R$ 98,7 milhões, com crescimento de 23,3% sobre o 2T14, e equivalente a 81,3% da receita bruta. A receita de serviços no segundo trimestre cresceu 10,6%, se comparado ao resultado do mesmo período de 2014, chegando a R$ 22,6 milhões.

O lucro caixa atingiu R$ 25,4 milhões, o que representa ampliação de 15,2% em comparação ao 2T14. Já a geração de caixa (EBITDA) da empresa foi de R$ 29,6 milhões, 16,9% acima do valor obtido no mesmo período de 2014.

De acordo com Dennis Herszkowicz, vice-presidente financeiro e de RI da Linx, esta expansão é resultado da estratégia que combina aumento do faturamento nos atuais clientes, crescimento da comercialização das chamadas “ofertas cross” e vendas para novos clientes. “Mesmo num cenário de desaceleração econômica, conseguimos crescer por conta do nosso modelo de negócio resiliente, com foco em receitas recorrentes que geram previsibilidade e rentabilidade”, afirma o executivo.

O executivo destaca que existem segmentos que continuam apresentando oportunidades crescentes de expansão, como os de food service, farmácias e postos de combustíveis. “Nossos clientes estão bem estruturados e mesmo num cenário desafiador continuam ganhando market share. Eles buscam num momento de crise aumentar a produtividade por meio de sistemas de gestão e de outras soluções tecnológicas de apoio ao negócio”, explica o executivo.

De acordo com os dados preliminares do novo estudo da empresa de análise do mercado de tecnologia IDC sobre o mercado brasileiro de software de ERP E POS para varejo*, o market share da Linx atingiu 35,5% em 2014, um crescimento de 2,6 pontos percentuais em relação ao ano anterior. No período, o Mercado Total Potencial de software do varejo no Brasil atingiu R$ 9,14 bilhões. Já a receita de software de ERP e POS para varejo em 2014 foi de R$ 876,25 milhões, o que representa 9,6% do Mercado Total Potencial, com crescimento de 12,7% sobre 2013.

*No escopo do estudo não estão incluídos os subsegmentos de varejo referentes a hospitalidade (hotéis, turismo, etc).

(Redação - Agência IN)