Produção industrial cresce em outubro, mostra CNI

  •  
Destaque Produção industrial cresce em outubro, mostra CNI (Foto: Divulgação) Produção industrial cresce em outubro, mostra CNI

A Sondagem Industrial, da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que a recuperação da indústria segue em curso e que a atividade industrial encontra-se em patamar mais elevado que há um ano. A produção industrial cresceu na passagem de setembro para outubro, diferentemente do que tinha ocorrido nos últimos dois anos. A utilização da capacidade instalada segue baixa, mas supera a observada para os meses de outubro de 2016 e 2015. Os estoques, que chegaram a atingir nível acima do planejado em setembro, recuaram em outubro.

O índice de evolução da produção registrou 52,6 pontos. O índice de outubro de 2017 supera os registrados nos meses de outubro de 2015 e 2016, cujos índices ficaram abaixo de 50 pontos, ou seja, mostraram queda da produção. Também supera o observado em 2014, quando ficou em 50,8 pontos, apontando crescimento, embora menos intenso que em 2017.

O índice de evolução do número de empregados mostra interrupção do ciclo de demissões em outubro. O índice ficou praticamente sobre a linha divisória, em 49,7 pontos. É a primeira vez, desde novembro de 2013, que o índice mostra estabilidade do emprego.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) subiu 1 ponto percentual (p.p.), chegando a 67% em outubro. O percentual supera em 2 p.p. o registrado no mesmo mês de 2016 e em 1 p.p. o observado em 2015. Ainda assim, é um percentual reduzido, pois está 7 p.p. abaixo da média para o mês entre 2011 (início da série) e 2014.

O índice de UCI efetiva em relação ao usual aumentou 1,2 ponto, para 43 pontos. Embora ainda distante da linha divisória de 50 pontos, que separa atividade abaixo do usual de atividade acima do usual para o mês, o índice é 6,2 pontos superior ao registrado em outubro de 2016.

O nível de estoque voltou ao patamar planejado pelas empresas, após mostrar ligeiro excesso indesejado em setembro. O índice de evolução dos estoques ficou em 49,3 pontos, apontando pequena redução dos estoques, enquanto o índice de estoque efetivo/planejado recuou 0,8 ponto, de 50,7 pontos para 49,9 pontos.

De um modo geral, as expectativas reduziram-se levemente em novembro, após acomodação em outubro. Mesmo com as contrações neste mês, os índices de expectativa de demanda, compras de matérias-primas e quantidade exportada seguem acima dos 50 pontos, ou seja, indicam otimismo. O índice de expectativa de número de empregados manteve-se estável, praticamente sobre a linha divisória. Em 49,2 pontos, o índice mostra perspectivas de estabilidade do emprego industrial.

Por fim, o índice de intenção de investimento registrou acréscimo de 1 ponto entre outubro e novembro, alcançando 50,6 pontos. Trata-se do quinto mês seguido sem recuo do índice, que é o maior desde fevereiro de 2015 – sendo 6,7 pontos superior ao registrado em novembro de 2016.

(Redação – Investimentos e Notícias)