Preços dos alimentos diminuem em São Paulo, aponta Dieese

  •  
Preços dos alimentos diminuem em São Paulo, aponta Dieese Foto: divulgação Preços dos alimentos diminuem em São Paulo, aponta Dieese

Segundo cálculo do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), de novembro para dezembro, o Índice do Custo de Vida do município de São Paulo registrou alta de 0,12%.

As famílias com rendimentos mais elevados, pertencentes ao estrato 3, tiveram a maior variação, 0,24%; seguidas das com renda intermediária, do estrato 2, com taxa de 0,04%; e, para as famílias com menor renda, do estrato 1, foi registrada queda de -0,15%. Todos os estratos de renda1 apresentaram diminuição nos preços: -0,25 p.p. para o estrato 1; -0,20 p.p. para o estrato 2; e, -0,10 p.p. para o estrato 3.

No índice geral, os maiores aumentos foram verificados nos grupos Despesas Diversas (1,42%), Despesas Pessoais (1,31%), Transporte (0,92%) e Habitação (0,34%). Assim como no mês anterior, em dezembro houve retração nos preços dos alimentos, - 0,51%, e como é o grupo com maior peso do índice (32,11%), contribuiu para desacelerar a taxa (Tabela 1 e Gráfico 1).

O grupo Despesas Diversas apresentou variação de 1,42%. Os gastos com ração de animais (1,68%) determinaram a taxa do grupo, pois as despesas com comunicação não variaram.

Nas Despesas Pessoais (1,31%), o aumento se deu no subgrupo fumo e acessórios (2,67%) devido à alteração no cálculo do IPI dos cigarros; já o subgrupo higiene e beleza registrou queda de -0,27%.

No grupo Transporte (0,92%), enquanto o subgrupo transporte coletivo não variou, o transporte individual registrou taxa de 1,34%, com destaque para os itens compra de veículo (8,50%) e combustível (0,94%): a gasolina variou 1,02% e o álcool, 0,82%.

As taxas dos subgrupos da Habitação (0,34%) foram: conservação do domicílio, -0,17%; locação, impostos e condomínio, -0,09%; e, operação do domicílio, 0,68%. Em dezembro, ocorreu diminuição de -3,58% na eletricidade, com a volta da bandeira verde; e reajuste de 9,19% na tarifa telefônica.

(Redação - Agencia IN)