PMEs do setor de couro e calçados investem R$ 6,6 milhões em 2018

  •  
Recursos foram financiados pela Desenvolve SP e representam um crescimento de 118% na comparação com 2017 Foto: Divulgação Recursos foram financiados pela Desenvolve SP e representam um crescimento de 118% na comparação com 2017

De 14 a 17 de janeiro acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, a 46ª edição da COUROMODA, feira de calçados e artigos de couro mais importante da América Latina. Se em 2018 a produção nacional do setor apresentou queda de 2%, as pequenas e médias empresas (PMEs) do Estado de São Paulo caminharam na contramão da crise, registrando um crescimento de 118% nos investimentos realizados ao longo do período na comparação com 2017. Segundo levantamento da Desenvolve SP, a agência de desenvolvimento do governo paulista, R$ 6,6 milhões foram desembolsados pela instituição para financiar projetos de expansão, modernização, compras de máquinas e equipamentos e também operações de capital de giro.

 

“Nosso papel como agência de fomento é o de financiar o crescimento das PMEs por meio do crédito de longo prazo e a juros baixos. No último ano atendemos diversas empresas do segmento coureiro-calçadista, como fabricantes de curtume, roupas, calçados, bolsas e outros acessórios, além do comércio varejista. Em 2019, com a previsão de reaquecimento da economia como um todo, a expectativa é de que os investimentos do setor cresçam ainda mais”, diz Rafael Bergamaschi, gerente de negócios da Desenvolve SP.

Ainda de acordo com a instituição, desde 2009 já são R$ 28,4 milhões realizados em empréstimos ao setor, sendo que a indústria é a principal tomadora de crédito e representa 83% do montante. O comércio aparece na sequência, demandando os outros 17%. As PMEs financiadas estão localizadas nas Regiões Administrativas de Bauru (R$ 8,1 milhões); Presidente Prudente (R$ 7,6 milhões); Franca (R$ 7,4 milhões); Araçatuba (R$ 2,4 milhões); São Paulo (R$ 1,6 milhão); Campinas (R$ 1 milhão); Vale do Paraíba e Litoral Norte (R$ 121 mil) e Região Central (R$ 88 mil).

(Redação - Investimentos e Notícias)