Plataforma de exploração do pré-sal será entregue este ano

  •  
Plataforma de exploração do pré-sal Foto: Divulgação Plataforma de exploração do pré-sal

As Unidade flutuante de armazenamento e transferência (FPSO, em inglês, Floating production storage and offloading ) Cidade de Ilhabela está com 95,7% das obras concluídas e será entregue no terceiro trimestre deste ano, segundo nota divulgada pela Petrobras nessa terça-feira (22).

A unidade flutuante, que está sendo construída no estaleiro Brasa, localizado na cidade de Niterói (RJ); tem capacidade para armazenar até 1,6 milhão de barris de óleo e vai operar no pré-sal, no campo de Sapinhoá Norte, na Bacia de Santos.

O estaleiro tem em sua carteira de projetos até o primeiro trimestre de 2016 mais duas embarcações idênticas ao Cidade de Ilhabela, cada uma com capacidade para processar 150 mil barris de petróleo por dia. De acordo com a Petrobras, essas embarcações vão acrescentar 1 milhão de barris de petróleo na produção diária em 2017.

Localizado na Baia de Guanabara, em uma região estratégica, o estaleiro foi inaugurado em fevereiro de 2012, ocupa uma área de 45 mil metros quadrados e possui um cais que lhe permite realizar a integração de plataformas.

O Brasa também está construindo os módulos de processamento de óleo, tratamento e compressão de gás natural e CO2, remoção de sulfato, injeção de água do mar e utilidades; além da torre do flare (chama do gás natural não aproveitado da plataforma) e do heliponto.

Serão construídos no Brasa, além da Ilhabela, parte dos módulos (injeção e tratamento de água, processamento de óleo e tratamento de gás) e integração das duas unidades, FPSO Cidade de Maricá e Cidade de Saquarema, “gêmeas” do FPSO Cidade de Ilhabela.

As duas plataformas serão entregues no quarto trimestre de 2015 e primeiro trimestre de 2016, respectivamente. O Maricá está programado para operar no Campo de Lula Alto e o Saquarema, no Campo de Lula Central, ambos no pré-sal.

O conteúdo local previsto em contrato para cada uma das três unidades é de 65%. Conteúdo local é uma determinação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) de que os bens e serviços usados na construção de uma unidade dessas sejam, em grande parte, de origem nacional e não importados. A previsão é de que as obras gerem mais de sete mil empregos.

(Redação - Agência IN)