Petróleo tem semana de queda, ouro se mantém estável

  •  
Petróleo tem semana de queda, ouro se mantém estável Foto: Divulgação Petróleo tem semana de queda, ouro se mantém estável

Nesta semana, os preços do petróleo seguiram a trajetória de queda, enquanto o ouro, ativo seguro para tempos de crise, manteve a estabilidade.

PETRÓLEO: os preços do petróleo caíram ao menor nível dos últimos quatro anos, diante da expectativa de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidirá não reduzir parte da sua produção na próxima reunião prevista para este mês de novembro.

A Agência Internacional de Energia prevê a continuidade da queda em 2015, considerando-se a demanda fraca e o aumento da produção de petróleo de xisto nos Estados Unidos.

Durante essa sexta-feira, no London's Intercontinental Exchange, o Brent do Mar do Norte para entrega em janeiro caiu para 78,77 dólares o barril em comparação aos 83,64 dólares no contrato para dezembro, negociado na semana anterior.

No New York Mercantile Exchange, o "light sweet crude" (WTI) para entrega em dezembro recuou para 74,92 dólares o barril em relação aos 78,99 dólares da semana anterior.

METAIS PRECIOSOS: após ter registrado quedas expressivas, o preço do ouro se manteve estável.

O preço do metal no London Bullion Market caiu 28% no último ano. Na semana passada, bateu o menor valor em quatro anos, abalado pela valorização do dólar.

Nesta sexta-feira, no London Bullion Market, o preço do ouro subiu para 1.169 dólares a onça, em relação aos 1.154,50 dólares da semana passada. Já a prata caiu de 15,42 dólares para 15,35 dólares.

No London Platinum and Palladium Market, a platina caiu para 1.178 dólares a onça, 20 dólares acima dos 1.198 dólares da semana anterior. O paládio caiu de 763 dólares para 760 dólares.

METAIS INDUSTRIAIS: grande parte dos preços dos metais industriais retrocederam em razão dos dados poucos animadores sobre a economia da China, grande consumidora desse tipo de matéria-prima.

Nesta sexta-feira, no London Metal Exchange, o cobre para três meses caiu de 6.682 dólares a tonelada para 6.616,50 dólares a tonelada.

O alumínio com entrega no mesmo prazo caiu para 2.016 dólares a tonelada; o chumbo avançou para 2.020 dólares; o estanho recuou para 19.830 dólares; o níquel, para 15.392 dólares; e o zinco caiu para 2.242,75 dólares a tonelada.

AÇÚCAR: os preços se recuperaram na expectativa de déficit de abastecimento.

Nesta sexta-feira no LIFFE, o preço da tonelada de açúcar refinado para entrega em março subiu para 420,40 dólares em relação aos 413,20 dólares da semana anterior.

No ICE Futures US, o preço do açúcar sem refino para março subiu de 15,69 centavos de dólar para 15,99 centavos.

CAFÉ: os preços do café também se recuperaram pelas perspectivas de redução da oferta.

Nesta sexta-feira no ICE Futures US, o Arábica para entrega em março ficou em 195,80 centavos de dólar. Na semana passada, a cotação foi de 183,65 centavos de dólar.

No LIFFE, o Robusta para janeiro foi cotado a 2.083 dólares a tonelada, 73 centavos acima do preço da semana passada.

(Redação com AFP - Agência IN)