Número de novos MEIs chega a 1,5 milhão

Número de novos MEIs chega a 1,5 milhão (Foto: Divulgação) Número de novos MEIs chega a 1,5 milhão

Entre janeiro e outubro de 2017, surgiram no país 1.502.010 microempreendimentos individuais (MEIs), 78,6% do total de 1.911.524 novas empresas constituídas no período. Os números são os maiores já apurados pelo Indicador Serasa Experian de Nascimentos de Empresas para os dez primeiros meses do ano. A quantidade de novos MEIs também é 11,7% superior ao registrado entre janeiro e outubro de 2016, quando 1.344.539 novas empresas desse segmento nasceram.

No último mês de outubro, quando surgiram 181.681 empresas, o número de novas MEIs também bateu recorde, comparado com todos os meses de outubro desde 2010: foram 142.642 contra 124.010 nascimentos registrados em outubro/2016, alta de 15,8%. De outubro de 2012 até outubro de 2015 a representatividade dos MEIs foi crescente e impulsionou o aumento geral no número de novas empresas no país. Em outubro de 2017 a porcentagem de participação dos microempreendimentos individuais no total de empresas criadas foi a maior de todos os meses de outubro desde que o levantamento passou a ser feito (2010).

De acordo com os economistas da Serasa Experian, apesar de um início de recuperação do mercado formal de trabalho, a criação de MEIs continua robusta na economia. A própria reação da economia, abrindo oportunidade de novos negócios, estimula a busca de novas fontes de renda no empreendedorismo.

Em outubro/2017, as Sociedades Limitadas registraram a criação de 15.405 unidades ou 8,5% do total de novos negócios; também surgiram 12.334 Empresas Individuais (6,8% do total). O nascimento de empresas de outras naturezas jurídicas representou 5,7% (10.300) de todos os novos empreendimentos nascidos no mês.

No décimo mês deste ano, o setor de serviços continuou liderando o ranking dos mais procurados por quem decidiu empreender: das 181.681 novas empresas surgidas em outubro/2017, 114.891 eram de serviços, o equivalente a 63,2% do total. Em seguida, 52.011 empresas comerciais (28,6% do total) e, no setor industrial, foram abertas 14.226 empresas (7,8% do total) no mês.

Observa-se nos últimos sete anos um crescimento quase constante na participação das empresas de serviços no total de empresas que nascem no país, passando de 53,4% (outubro de 2010) para 63,2% (outubro de 2017). Por outro lado, a participação do setor comercial recuou de 35,4%, em outubro/2010, para 28,6% em outubro/2017. Já a participação das novas empresas industriais se mantém estável.

O Sudeste segue liderando o ranking de nascimento de empresas, com 95.346 novos negócios abertos em outubro/2017 ou 52,5% do total. A Região Sul ocupou a segunda posição, com 17,7% (32.125 empresas). O Nordeste ficou em terceiro lugar, com participação de 16,8% e 30.564 novas empresas. O Centro-Oeste registrou a abertura de 15.361 empresas e foi responsável por 8,5% de participação no total de nascimentos, seguido pela Região Norte, com 8.285 novas empresas ou 4,6% dos empreendimentos inaugurados.

O Centro-Oeste foi a região que registrou maior alta no número de nascimentos (18,4%) na comparação entre outubro/2017 e outubro/2016. A região Nordeste teve crescimento de 17,1% no período, seguida pela região Sul, que apresentou elevação de 13,4%. O Sudeste contabilizou a abertura de 12,0% a mais de novos empreendimentos na checagem entre outubro de 2017 e outubro de 2016 e, no Norte, o aumento representou 11,6%.

Entre os estados, em outubro/2017, São Paulo foi responsável por 28,3% dos novos negócios, totalizando 51.486. Em seguida, o estado com maior número de novas empresas foi o Rio de Janeiro, com 19.798 nascimentos, 10,9% do total. A terceira posição no ranking nacional de nascimentos em outubro/2017 ficou com Minas Gerais, com 19.723 novos empreendimentos, (10,9%).

(Redação - Investimentos e Notícias)